Cabo Verde continua a aumentar número de hóspedes

A queda de cinco posições no ‘ranking’ da competitividade no turismo, do Fórum Económico Mundial, sentiu-se pouco no arquipélago.

Cabo Verde registou, em 2019, a queda de cinco posições no ranking da competitividade no turismo (Fórum Económico Mundial), mas essa má notícia não teve impactos imediatos no número de hóspedes, que manteve a tendência ascendente ao longo do ano.

O país caiu cinco posições, passando do lugar 83 em 2018 para posição 88, a nível mundial num grupo de 140 países avaliados e 1º a nível do continente africano, numa zona geográfica em que foram avaliados 13 países da África Ocidental.

Contudo, de acordo com as estatísticas do turismo divulgadas em dezembro, o número de hóspedes em Cabo Verde aumentou 6,8% no terceiro trimestre deste ano, e as dormidas 1,9% face ao período homólogo de 2018. Os dados indicam que os estabelecimentos hoteleiros acolheram mais de 595 mil hóspedes e, cerca de 3,7 milhões de dormidas, movimentos que se traduzem em acréscimos de 7,5% e 3,9%, respetivamente, em relação ao mesmo período do ano anterior.

Este ano Cabo Verde foi escolhido para receber importantes eventos para a discussão de aspetos relacionados com o turismo como o caso da I Conferência Ministerial sobre Turismo e Transporte Aéreo em África, em março, pela Organização Internacional do Turismo (OMT) e pela ICAO, e que teve como palco a ilha do Sal.

A maratona ministerial culminou com a Declaração de Santa Maria que, entre outras deliberações, encorajou os Estados africanos a tomarem medidas pragmáticas para construir um clima de investimentos transparente, estável e previsível para apoiar o desenvolvimento de infraestrutura de qualidade ligada à aviação e ao turismo.

À margem do encontro, o Governo de Cabo Verde, através do ministro do Turismo e Transportes e da Economia Marítima, José Gonçalves, assinou três protocolos, com Congo, Angola e Portugal, nos domínios dos transportes aéreos e turismo.

Outro evento importante foi a X reunião dos ministros do Turismo da Comunidade dos Países de Língua Portuguesa (CPLP), em novembro, na ilha do Fogo, contando com a participação de representantes dos todos os países da comunidade, com exceção do Brasil e Moçambique.

O evento culminou com um mandato ao Secretariado Executivo para, em concertação com os Estados-membros, negociar o memorando de entendimento entre a CPLP e a OMT, reafirmando a vontade política de o manter ativo e de promover a cooperação multilateral para o apoio à execução do Plano Estratégico de Cooperação em Turismo da CPLP – 2016-2026 (PECTUR-CPLP) e suscitar o interesse da OMT para formular pedido de adesão ao estatuto de Observador Associado da CPLP.

Recomendadas

Cabo Verde quer cortar perdas de eletricidade na rede pública em 5,5 pontos em 2023

O Banco Europeu de Investimento vai financiar com 110 milhões de escudos (um milhão de euros) um programa para reduzir em 5,5 pontos percentuais as perdas de eletricidade na rede pública de distribuição em Cabo Verde em 2023, segundo o Governo.

CPLP: presidente da Guiné Equatorial à frente das contagens com 99,7% dos votos

A oposição denúncias fraude em massa e o único partido da oposição recusa reconhecer a vitória do líder octogenário, Teodoro Obiang. Há um mês, a CPLP congratulava-se com a integração do país como “Estado de pleno direito”.

Cabo Verde. Presidente assinala primeiro ano de mandato com críticas à crispação e avisos ao Governo

O Presidente da República cabo-verdiana, José Maria Neves, criticou hoje a “crispação” que permanece na política nacional, alertou que os tempos atuais “exigem consensos” e avisou que não é oposição, mas também não é “claque” do Governo.
Comentários