Cabo Verde. Embarcação com 92 migrantes dá à costa em Boa Vista

Uma piroga com 92 migrantes de origem africana deu à costa na ilha cabo-verdiana de Boa Vista. Dois dos ocupantes morreram na travessia, que tinha como destino Espanha.

Uma piroga com 92 migrantes africanos deu à costa na ilha cabo-verdiana de Boa Vista, avançou o autarca da região à agência Lusa. Dois dos coupantes foram encontrados pelas autoridades já sem vida. A embarcação dirigia-se a Espanha, mas terá ficado sem combustível.

“Morreram praticamente na costa. Foi uma situação dramática”, relatou o autarca de Boa Vista, Cláudio Mendonça, indicando que a embarcação terá partido da Gâmbia em 24 de dezembro, com destino a Espanha.

O grupo composto na maioria por senegaleses terá ficado desorientado na travessia marítima entre Marrocos e a Mauritânia, diz a mesma fonte. No barco, havia ainda cidadãos da Gâmbia, Serra Leoa, Guiné-Conacri e Guiné-Bissau.

A média de idades dos migrantes é de 25 anos, tendo o mais novo dos coupantes apenas 14 anos.

O número de migrantes a chegar por via marítima a Cabo Verde tem aumentado, segundo vários agentes políticos. Em apenas três meses, o número de migrantes ultrapassou os 100.

“É algo crítico”, diz o autarca Cláudio Mendonça à Lusa. “Há menos de três meses tivemos a mesma situação (…) É preciso olhar para isto”, salienta.

A piroga terá sido avistada pelas 17h00 da tarde deste sábado por um faroleiro no Farol do Morro Negro, no lado norte da ilha, a mais de 30 quilómetros da capital, Sal Rei.

Dos migrantes que derão à costa, dois foram sepultados em Boa Vista este domingo. Outros seis estão a receber assistência hospitalar e os restantes estão em abrigos provisórios.

Recomendadas

PremiumFusão da Cabo Verde Telecom adiada

O Jornal Económico sabe que o mês de fevereiro chegou a estar previsto para a concretização da fusão das três operadoras de telecomunicações de Cabo Verde, mas a data ficou sem efeito. Não haverá despedimentos.

Presidente da Guiné-Bissau confiante na criação da moeda de países do oeste africano até 2027

O presidente da Guiné-Bissau, Umaro Sissoco Embaló, afirmou hoje estar confiante na criação da moeda única da Comunidade Económica dos Estados da África Ocidental, denominada Eco, em 2027 e admitiu ser normal as reservas de alguns países.

Congresso brasileiro toma posse, com eleiçao de líderes que definem relação com governo

Vencerá a eleição no Senado o candidato com 41 ou mais votos de um total de 81 senadores.
Comentários