Cabo Verde: Hora de Investir

Cabo Verde pretende imprimir uma maior dinâmica ao mercado interno, através da criação de novas oportunidades de negócios e de investimentos para o sector privado.

O atual Governo de Cabo Verde assumiu um forte compromisso com o desenvolvimento económico e a modernização do País, tendo colocado em prática um conjunto de políticas e medidas que têm como objetivo central tornar Cabo Verde num Estado capaz de suscitar interesse e captar investimento estrangeiro.

Consciente do seu objetivo de “building a better working world” a EY apoiou a realização do 1º Cabo Verde Development Forum, no qual foi debatida a localização geoestratégica de Cabo Verde e a sua ligação com os países da CEDEAO (Comunidade Económica dos Estados da África Ocidental), o ambicioso plano de privatizações e angariação de investimento estrangeiro definido pelo governo e a reforma do Sistema fiscal atualmente em curso. Como sinal da importância estratégica que está a ser dada a estes temas e à promoção internacional do País, o Governo de Cabo-Verde fez-se representar pelo Primeiro-Ministro e pelo Ministro da Economia, que foram acompanhados pela TradeInvest, agência de promoção de investimento, e por representantes do Ministério das Finanças.

Focando-nos no recente programa de privatizações, aprovado por uma resolução do Conselho de Ministros em Agosto deste ano, o Governo de Cabo Verde pretende imprimir uma maior dinâmica ao mercado interno, através da criação de novas oportunidades de negócios e de investimentos para o sector privado. Este programa é de alguma forma transversal à economia do país, com oportunidades de investimento em sectores chave da economia como as infraestruturas aeroportuárias, a companhia nacional de aviação, a gestão de infraestruturas portuárias, utilities de electricidade e de águas, a operadora nacional de telecomunicações ou os serviços de distribuição de correio.

Com base no histórico de privatizações que ocorreram na Europa e nos EUA nas últimas três décadas, e nas lições daí obtidas, o Governo de Cabo Verde tomou as devidas precauções para maximizar os efeitos económicos deste programa, assumindo desde o início diferentes modalidades para a participação dos privados, nomeadamente a privatização, a concessão ou a parceria público-privada. Da mesma forma, o país preparou-se para este programa de privatizações criando um processo ágil e eficiente de resposta ao mesmo, criando no Mistério das Finanças uma equipa focada neste objetivo e com preocupações como a criação de um ambiente competitivo, com várias reformas legislativas neste sentido, e com a preparação das empresas para o processo de privatização, nomeadamente com processos de reestruturação das mesmas em curso.

A estabilidade institucional, a posição geoestratégica e o compromisso de políticas públicas tornam Cabo Verde um destino de investimento a acompanhar com atenção.

Se tem interesse em receber comunicação da EY Portugal (Convites, Newsletters, Estudos, etc), por favor Clique aqui

Recomendadas

A adoção de cloud nas organizações

A adoção de cloud é vital para a transformação digital, adotando tecnologias disruptivas e otimizando as organizações.

O arquivo eletrónico e a desmaterialização de faturas e documentos

Os requisitos técnicos e legais referentes à desmaterialização de faturas e demais documentos fiscalmente relevantes, e de constituição do arquivo eletrónico, foram definidos com a publicação do Decreto-Lei n.º 28/2019, de 15 de fevereiro.

Reinventar o SNS

Colocam-se ao SNS desafios associados ao envelhecimento populacional, à maior prevalência de doenças crónicas, ao maior consumo de cuidados de saúde e à maior exigência dos utentes.
Comentários