Cabo Verde inicia retoma turística com charter da Polónia

Cabo Verde recebeu o primeiro voo charter após o longo período de confinamento . Era proveniente da Polónia e tinha 167 passageiros a bordo.

Cabo Verde recebeu o primeiro voo ‘charter’ após o longo período de confinamento e restrições por causa da pandemia da covid-19, proveniente da Polónia e com 167 passageiros, para o início da retoma turística no arquipélago.

“Depois de um longo período de confinamento devido à covid-19, chega ao Sal o primeiro voo ‘charter’ da companhia aérea Smartwings organizado pelo operador turístico ITAC, vindo da Polónia”, disse o primeiro-ministro cabo-verdiano.

Num texto intitulado “está a acontecer”, Ulisses Correia e Silva disse que o Governo preparou as ilhas turísticas do Sal e da Boa Vista para este momento.

“Registam números baixos de casos positivos, têm as estruturas de saúde certificadas internacionalmente, o aeroporto do Sal com certificação sanitária e vários serviços do setor do Turismo (hotéis, restaurantes, guias, táxis) com certificação sanitária”, apontou.

Para o chefe do Governo, a chegada do voo da Polónia marca o início de um processo de retoma do turismo que se vai desenvolver gradualmente neste contexto ainda marcado pela pandemia da covid-19.

“O desejo de todos, é um ano de 2021 bem diferente e muito melhor do que 2020”, projetou o primeiro-ministro cabo-verdiano.

O Ministério do Turismo e Transportes completou que o avião chegou ao Sal na sexta-feira com 167 turistas polacos a bordo e aterrou na no Aeroporto Internacional Amílcar Cabral, na ilha do Sal.

Para esse ministério, essa é a primeira leva de turistas a chegar a Cabo Verde, depois do surgimento da pandemia provocada pela covid-19.

“Este voo foi conseguido através da operadora ITAC que trabalha em Cabo Verde há vários anos e a Agência Morabitur”, concluiu o Ministério do Turismo cabo-verdiano.

Cabo Verde tem quatro aeroportos internacionais, nas ilhas de Santiago, do Sal, da Boa Vista e de São Vicente, e três aeródromos, nas ilhas de São Nicolau, Maio e Fogo, todos operados pela ASA.

A economia de Cabo Verde depende essencialmente do Turismo, com um peso direto de cerca de 25% do Produto Interno Bruto e um recorde de 819 mil turistas em 2019.

Desde finais de março que o arquipélago praticamente não tem atividade turística, com o Governo a estimar a duplicação da taxa de desemprego até dezembro, para quase 20%.

Os voos comerciais internacionais para Cabo Verde ficaram suspensos desde março, para conter a pandemia, até 12 de outubro.

Recomendadas

UNITA quer esclarecimentos do Governo sobre greve dos pilotos da TAAG

O sindicato dos pilotos da companhia aérea de bandeira de Angola convocou uma greve entre os dias 7 (amanhã) e 16 de outubro.

Consórcio confirma existência de petróleo em São Tomé e Príncipe

O consórcio é composto pela Galp STP (operador) com 45% de interesses participativos, Shell STP com 45%, e a ANP–STP, em representação do Estado são-tomense, com 10% de interesses participativos.

“Angola representa uma oportunidade para os nossos acionistas”, afirma CEO do Access Bank

“Angola representa uma oportunidade para os nossos acionistas participarem no que acreditamos que irá gerar um valor mais forte à medida que África vai emergindo”, explicou Herbert Wigwe, CEO da Access Holding Pics, numa entrevista exclusiva para a Forbes África Lusófona.
Comentários