Cabo Verde terá mais um laboratório de virologia na próxima semana

A Cidade da Praia continua como principal foco de contágio no arquipélago e, de acordo com o ministro cabo-verdiano Arlindo do Rosário, vão ser reforçadas algumas medidas, nomeadamente, o acompanhamento das pessoas que fazem internamento domiciliar.

Universidade de Coimbra
Foto cedida

O ministro da Saúde e da Segurança Social, Arlindo do Rosário, revelou que, a partir da próxima semana, o país passará a contar com mais um laboratório de virologia que será instalado na cidade da Praia.

Arlindo do Rosário fez este anuncio à imprensa, à margem da cerimónia de assinatura do Acordo de Aquisição Conjunta de medicamentos e outros produtos médicos entre os Pequenos Estados Insulares em desenvolvimento da região africana.

Conforme explicou, na próxima semana, mais concretamente na segunda-feira, dia 5 de outubro, o país vai contar com mais um laboratório, numa parceria com a Universidade de Cabo Verde, instalada na capital.

“Em Cabo Verde teremos seis laboratórios e seis meses atrás não tínhamos nenhum, isso mostra um esforço enorme que está sendo realizado”, destacou.

Segundo o governante o país está a realizar mais de três mil testes por semana,  “num esforço económico elevado”, apontando, nesta linha, um valor superior a 100 mil contos.

A Cidade da Praia continua como principal foco de contágio no arquipélago e, de acordo com Arlindo do Rosário, vão ser reforçadas algumas medidas, nomeadamente, o acompanhamento das pessoas que fazem internamento domiciliar, diminuindo assim eventuais casos de incumprimento e alargar a realização de testes.

Entretanto, realçou que esta luta só será vencida com a contribuição de todos, ou seja, a população tem que assumir sua responsabilidade a nível do comportamento.

“É é um trabalho que tem que ser assumido pela população também, mas nós acreditamos que vamos conseguir baixar os níveis de contágio”, frisou.

Recomendadas

Mali. ONU lança apelo por 688 milhões de euros para ajudar 5,7 milhões de pessoas

A Organização das Nações Unidas (ONU) lançou hoje um apelo por 751 milhões de dólares (688 milhões de euros) para dar resposta às necessidades urgentes de 5,7 milhões de pessoas no Mali.

FMI apoia Guiné-Bissau a redigir o novo regime de isenções fiscais

A missão liderada por David Baar, economista sénior do Departamento de Assuntos Fiscais do FMI, vai permanecer no país até sexta-feira e na segunda-feira já esteve reunida com os secretários de Estado do Tesouro, Orçamento e Assuntos Fiscais e os diretores-gerais das Alfândegas, das Contribuições e Impostos e da Previsão e Estudos Económicos.

Angola arrecadou 1,95 mil milhões de dólares com a venda de diamantes em 2022

Segundo o chefe do departamento de Planeamento do Gabinete de Estudos, Planeamento e Estatísticas do Ministério dos Recursos Minerais, Petróleo e Gás, Alexandre Garret, do total de diamantes produzidos no ano passado, 8,71 milhões de quilates são provenientes da produção industrial e os restantes da semi-industrial.
Comentários