Cabo-verdianos a receber subsídio de desemprego caíram para metade em outubro

Em outubro, do total de 380 beneficiários de subsídio de desemprego em Cabo Verde, mais de metade referem-se a trabalhadores nas ilhas turísticas do Sal (151) e da Boa Vista (68).

O número de cabo-verdianos a receber subsídio de desemprego caiu para metade de setembro para outubro, segundo dados oficiais do Instituto Nacional de Previdência Social (INPS) a que a Lusa teve esta quarta-feira acesso.

De acordo com dados até 31 de outubro do relatório mensal do INPS, instituto público que gere as pensões e contribuições dos trabalhadores cabo-verdianos, um total de 380 estavam a beneficiar, naquele mês, de subsídio de desemprego.

Trata-se de um aumento de 65% face a outubro de 2019, ainda resultado da crise económica provocada pela pandemia de covid-19. Ainda assim, representa uma quebra de beneficiários de subsídio de desemprego de 51,5% face aos 785 inscritos em setembro.

Em outubro, do total de 380 beneficiários de subsídio de desemprego em Cabo Verde, mais de metade referem-se a trabalhadores nas ilhas turísticas do Sal (151) e da Boa Vista (68).

Desde abril, com o início dos efeitos económicos da pandemia, que o número de beneficiários de subsídio de desemprego não parava de crescer, até ao máximo de 1.193 em julho. Em 2019, também no mês de julho, o INPS pagava subsídio de desemprego a apenas 204 beneficiários.

O Governo cabo-verdiano tem vindo a lançar várias medidas mitigadoras da crise económica provocada pela pandemia no arquipélago, sobretudo na área do turismo, que representa 25% do Produto Interno Bruto (PIB), mas que está sem atividade desde finais de março.

Para 2020, o Governo cabo-verdiano prevê a duplicação da taxa de desemprego, para 19,2%, que deverá reduzir para 17,2% no próximo ano.

Recomendadas

Cabo Verde quer reforçar combate à pobreza com aumento de 25% da taxa turística

Governo liderado por Ulisses Correia e Silva prevê arrecadar 8,6 milhões de euros com o aumento da taxa, que serão canalizados para o fundo de financiamento Programa Mais, Mobilização pela Aceleração da Inclusão Social, concebido para apoiar projetos de combate à pobreza extrema e exclusão social, segundo a Forbes África Lusófona.

Presidente de São Tomé e Príncipe pede inquérito sobre “tentativa de golpe de Estado”

As declarações do chefe de Estado foram feitas após a reunião do Conselho Superior de Defesa Nacional de São Tomé e Príncipe, que foi convocado com caráter de urgência para analisar os acontecimentos registados em 25 de novembro, quando quatro homens, civis, atacaram o quartel das Forças Armadas do país.

ONU em São Tomé elogia autoridades após ataque a quartel e pede que país seja “bom aluno”

Em entrevista à Lusa, Eric Overvest declarou que o escritório da ONU em São Tomé e Príncipe acompanhou, ao longo do dia, os acontecimentos, junto das autoridades, na sequência do assalto, por quatro homens, ao quartel militar, que o primeiro-ministro, Patrice Trovoada, classificou como “tentativa de golpe de Estado”.
Comentários