Cadeia Leonidas quer faturar 4 milhões em Portugal

A primeira loja Pralines Leonidas, cadeia europeia de lojas de chocolates, abriu esta segunda-feira em Lisboa. A 7 de dezembro, é inaugurada a segunda unidade no Mercado do Bom Sucesso, no Porto. Dentro de cinco anos, em 2020, a cadeia espera faturar quatro milhões de euros em terras lusas.


Notice: Undefined offset: 1 in /var/www/vhosts/jornaleconomico.pt/httpdocs/wp-includes/media.php on line 1031

Notice: Undefined offset: 2 in /var/www/vhosts/jornaleconomico.pt/httpdocs/wp-includes/media.php on line 1031

Notice: Undefined offset: 1 in /var/www/vhosts/jornaleconomico.pt/httpdocs/wp-includes/media.php on line 1031

Notice: Undefined offset: 2 in /var/www/vhosts/jornaleconomico.pt/httpdocs/wp-includes/media.php on line 1031

A Pralines Leonidas, cadeia europeia de lojas de chocolates, chegou esta segunda-feira a Portugal. A primeira loja abriu em Lisboa. Dentro de dias, a 7 de dezembro, é inaugurada a segunda unidade no Mercado do Bom Sucesso, no Porto. Dentro de cinco anos, em 2020, aquela que diz ser a “maior cadeia de lojas de chocolates da Europa”, espera faturar quatro milhões de euros em terras lusas.

A cadeia da marca de chocolates belga tem mais de 1400 lojas no mundo inteiro, cerca de 80 variedades de chocolate e, diz a empresa em comunicado, “o melhor preço do mercado”.

Para além destas duas lojas, está prevista a abertura de mais 38 espaços em território nacional até 2020. O investimento inicial ronda os 100 mil euros e a empresa espera faturar já em 2016 cerca de 400 mil euros. Quando a cadeia estiver completa com os 40 estabelecimentos, a faturação deverá ascender aos quatro milhões de euros.

Ricardo Puga, responsável da Leonidas em Portugal, explica que “queremos dar a conhecer a Leonidas aos portugueses” e que as lojas sejam “um espaço único em que os amantes do chocolate se sintam em casa”, um “local de degustação de chocolates e de outros produtos associados ao chocolate, como chocolate quente, cafés, bebidas de café e chocolate, gelados de chocolate, crepes ou gaufres”.

Como tudo começou

Leonidas Kestekides nasceu na Grécia em 1876 e aos 18 anos emigrou para os EUA, onde começou a trabalhar na confeção de chocolate, fundando posteriormente a marca Leonidas. Em 1910, integrando uma delegação grego-americana, apresentou os seus produtos na Feira de Bruxelas, na Bélgica, onde ganhou uma medalha de bronze. Três anos depois, conheceu uma jovem belga por quem se apaixonou, levando a estabelecer-se definitivamente no país. Abriu a primeira em Bruxelas em 1931. Era um salão de chá com o nome Leonidas.

Leonidas utilizava ingredientes diferentes para a confeção dos bombons, como nozes, cremes frescos, manteigas e frutas, que conquistaram o paladar dos exigentes belgas, acostumados a chocolates de alta qualidade.

Em 1922, juntaram-se ao negócio de Leonidas vários familiares, incluindo o seu sobrinho Basile Kestekides. Em 1935, Basile Kestekides abriu oficialmente a primeira loja Leonidas no centro de Bruxelas e lançou o seu revolucionário conceito de “sashwindow” (janela guilhotina). Era através de uma janela que vendia os seus doces, preparados durante a madrugada, diretamente aos clientes que passavam na rua. Basile criou uma elevada variedade de novos chocolates baseados nos valores do fundador da marca. Foi também Basile que, em homenagem ao seu tio, escolheu a esfinge do Rei Leonidas de Esparta como símbolo da marca, que se mantém até hoje.

O pequeno laboratório originalmente criado pelo fundador tem vindo a evoluir sem nunca perder a sua alma ou os seus sabores originais. O que começou como uma pequena empresa familiar transformou-se numa marca internacional com mais de 1400 lojas, presente em mais de 50 países e com cerca de 4500 colaboradores. Em novembro de 2013 passou a ser “fornecedor oficial” da corte belga.

A marca e o primeiro logótipo foram criados em 1937 por Basílio, sobrinho de Leonidas: uma imagem do Rei guerreiro Leonidas de Esparta. Esta imagem reflete tanto as raízes gregas da família. Em 1983, o logótipo foi redesenhado, mantendo os elementos principais continuam presentes: o nome do fundador e a esfinge do guerreiro de Esparta. Por ocasião do centenário da marca, em 2013, o logótipo ganhou um fundo azul que se mantém até aos dias de hoje.

Factos Leonidas:
– São produzidos mais de 500 milhões de chocolates por ano na Bélgica, divididos por cerca de 130 variedades.
– A Leonidas, na sua procura constante de novos sabores, é a primeira marca na história mundial do chocolate a criar uma receita com arroz tostado. Em 1983, criaram o Casanova: uma verdadeira história de sucesso para os amantes do chocolate.
– Claude Sénèque é o mestre Chocolateiro Leonidas e membro da equipa responsável por todas as criações da empresa belga das últimas quatro décadas.

OJE

Recomendadas

Emissão obrigacionista da Sonangol é “bem vinda” para a bolsa angolana

Segundo o responsável do Departamento de Desenvolvimento de Mercado da Bodiva, Nivaldo Matias, a iniciativa da Sonangol ainda não foi dada a conhecer formalmente à instituição, contudo, a decisão da petrolífera é “bem-vinda”.

Novabase suspende programa de recompra de ações

A tecnológica já tinha suspendido o programa em junho, tendo depois voltado a retomá-lo. Segundo informação publicada nessa altura, o programa estava previsto durar até 31 de dezembro de 2023.

Trabalhadores da Autoeuropa rejeitam pré-acordo laboral que previa aumento de 5,2%

Dos mais de cinco mil trabalhadores da fábrica de automóveis da Volkswagen, em Palmela, no distrito de Setúbal, só 3.865 exercerem o direito de voto, 2.007 dos quais votaram contra o pré-acordo e 1.826 a favor. Houve ainda 10 votos nulos e 22 brancos.