CGD: PSD quer ouvir Mário Centeno e António Domingues

Deputados sociais-democratas submeteram requerimento para a audição do Ministro das Finanças, Mário Centeno, e de António Domingues, presidente demissionário da Caixa Geral de Depósitos, na comissão parlamentar de inquérito sobre a gestão do banco público.

Cristina Bernardo

O PSD submeteu hoje um requerimento para a audição do Ministro das Finanças, Mário Centeno, e de António Domingues, presidente demissionário da Caixa Geral de Depósitos (CGD), na Comissão Parlamentar de Inquérito à Recapitalização da CGD e à Gestão do Banco.

O grupo parlamentar social-democracia considera “urgente” perceber a razão que levou à saída de António Domingues e descreve como “altamente contraditório” o facto de o gestor ter procedido à entrega das declarações de património em falta no dia em que se demitiu do cargo.

Em causa estão as afirmações do Primeiro-Ministro, que referiu, no último debate quinzenal, que a demissão dos gestores da CGD terá sido motivada pela aprovação da iniciativa legislativa que confirmou a obrigatoriedade de apresentação das declarações de património ao Tribunal Constitucional. A administração então em funções terá entendido que a nova regra “diminuía as condições para o exercício das suas funções”, explicou António Costa.

“Nos últimos meses, os portugueses têm assistido a uma degradação do quadro reputacional da CGD, sem precedentes, e que culminou com a demissão de uma administração que tinha pouco mais de quatro meses de mandato exercido. Por outro lado, a confiança no banco público não pode deixar de ser abalada com a falta de transparência e com a nebulosidade com que todo o processo da demissão de António Domingues foi tratado”, pode ler-se no documento enviado à agência Lusa.

 

Recomendadas

Renegociação de créditos: o que muda com a nova lei? Veja o “Falar Direito”

Nesta edição, que conta com a presença do advogado Francisco Barona, sócio do departamento financeiro e governance da Sérvulo, tentamos perceber o que muda com este diploma para consumidores e banca, numa entrevista conduzida pela jornalista Mariana Bandeira.

Bancos sujeitos a coimas até 1,5 milhões se não aplicarem diploma do Governo para crédito à habitação

Está já em vigor, a partir deste sábado, o diploma que estabelece medidas destinadas a mitigar os efeitos do incremento dos indexantes de referência de contratos de crédito para aquisição ou construção de habitação própria permanente. Bancos têm 45 dias a partir de hoje para aplicar as medidas.

Complemento excecional a pensionistas: SNQTB remeteu nova carta ao Primeiro-Ministro

Depois do OE2023 ter sido aprovado o Sindicato Nacional dos Quadros e Técnicos Bancários diz que “o Partido Socialista mantém a injustiça em relação aos bancários reformados que foram indevidamente excluídos da atribuição do complemento excecional a pensionistas”.
Comentários