Caixa realiza Simulacro anual no edifício Sede

“O exercício teve a participação de 3 mil pessoas que se encontravam no edifício à hora do simulacro”, diz a CGD.  

6 – Caixa Geral de Depósitos

A Caixa Geral de Depósitos (CGD), sob a coordenação do seu Gabinete de Prevenção e Segurança, realizou esta segunda-feira, no Edifício Sede em Lisboa, o Simulacro de Emergência e Evacuação.

Em comunicado a Caixa explica que “o cenário principal foi um sismo de elevada magnitude 7,9 (escala de Richter), com epicentro a Sudoeste de Sagres e risco de Tsunami, seguido de uma réplica forte”.

“O exercício teve a participação de 3 mil pessoas que se encontravam no edifício à hora do simulacro”, diz a CGD.

Estiveram igualmente incluídos no simulacro “vários Órgãos de Estrutura da Caixa Geral de Depósitos bem como 105 Agentes de Proteção Civil, nomeadamente do Regimento de Sapadores Bombeiros de Lisboa, Serviço Municipal de Proteção Civil de Lisboa, Instituto Nacional de Emergência Médica, Polícia de Segurança Pública, Polícia Judiciária e o Departamento de Investigação e Ação Penal de Lisboa, do Ministério Público, apoiados por 23 viaturas”.

“O Simulacro contou com 41 observadores participantes de representantes de quase todos os bancos a operar em Portugal, empresas de handling aeroportuário e outras grandes empresas”, acrescenta a Caixa.

Recomendadas

EBA lança teste de stress de 2023 para a banca e usa o mais severo de sempre dos cenários adversos

O teste de stress a nível da UE será conduzido numa amostra muito maior em comparação com anos anteriores, abrangendo 70 bancos da UE e 75% do total dos activos bancários na UE. Em termos de queda do PIB, o cenário adverso de 2023 é o mais severo utilizado até à data em toda a UE nos testes da banca.

Arranca Prémio Investigação ASF com foco no Direito e Humanidades

Incentivar a produção de trabalhos de investigação científica de elevado valor para o desenvolvimento dos mercados nacionais dos seguros e dos fundos de pensões é o objetivo do prémio, cujo vencedor será conhecido em julho.

Bancos amortizam antecipadamente pagamento dos LTRO ao BCE no valor de 25 mil milhões

O Banco de Portugal detalha que “após dois anos de aumentos sucessivos do financiamento concedido pelo Eurosistema, em 2022, as subidas das taxas de juro pelo BCE levaram vários bancos a amortizar antecipadamente os montantes obtidos através das operações de refinanciamento”.
Comentários