CaixaBank com lucros de 707 milhões de euros no trimestre

O BPI, que apresenta resultados no dia 6 de maio, contribuiu com 69 milhões de euros para os lucros de 707 milhões de euros obtidos durante o primeiro trimestre de 2022 pelo grupo CaixaBank que sublinhou a “dinâmica muito positiva” da sua filial portuguesa.

O CaixaBank teve um lucro de 707 milhões de euros no primeiro trimestre deste ano, mais 21,9% do que em igual período de 2021, resultado que não inclui o impacto da integração com o Bankia.

Os lucros do banco que controla o BPI foram penalizados por uma provisão de 214 milhões devido ao impacto da guerra, sendo que em termos recorrentes os resultados subiram 22%.

A rentabilidade dos capitais próprios tangíveis (RoTE) foi de 7,60% em março sem os factores extraordinários, ficando ligeiramente abaixo dos 8% registados em março de 2021 porque o banco está mais capitalizado. O seu rácio de capital CET1 situou-se em 13,4% e o almofada de capital para acautelar crises, o passivo bail-inável, MREL proforma total está em 26,5%, cumprindo assim já o nível exigido para 2024.

Segundo a Lusa, os lucros do trimestre teriam uma diminuição de 85,2% caso fossem incluídos no primeiro trimestre de 2021 os impactos extraordinários de 4.786 milhões de euros associados à fusão com o Bankia. Isto é, ao incluir a mais-valias de 4.300 milhões e os 28 milhões de custos extraordinários, o que inclui a reestruturação do quadro de pessoal. No caso de não serem incluídos os efeitos extraordinários em 2021 da fusão com o Bankia o resultado seria um aumento de 37,6% dos lucros.

O BPI, que apresenta resultados no dia 6 de maio, contribuiu com 69 milhões de euros para os lucros de 707 milhões de euros obtidos durante o primeiro trimestre de 2022 pelo grupo CaixaBank que sublinhou a “dinâmica muito positiva” da sua filial portuguesa.

O BPI continua a ter uma “evolução muito positiva” e realizou uma “contribuição muito positiva para os resultados do grupo”, realçou o presidente executivo (CEO) do CaixaBank, Gonzalo Gortázar, na conferência de imprensa em que apresentou os resultados do grupo no primeiro trimestre do ano.

Gonzalo Gortázar, citado pela Lusa, assegurou que o CaixaBank está “absolutamente concentrado” no seu crescimento orgânico e não contempla qualquer tipo de aquisições no mercado português ou em outro, sendo essa a mensagem que irá ser confirmada quando apresentar, em 17 de maio próximo, o seu “plano estratégico” para os próximos três anos.

 

Recomendadas

Santander Totta com aumento de capital de 135 milhões totalmente realizado

O Banco liderado por Pedro Castro e Almeida concluiu o aumento de capital que tinha sido aprovado a 4 de maio.

Bancos globalmente sistémicos com melhor performance dos resultados no primeiro trimestre

O Goldman Sachs fez uma análise aos resultados dos bancos no primeiro trimestre comparando, por um lado, os globalmente sistémicos dos outros e, por outro, os bancos da zona euro e de fora do euro. Em termos de rentabilidade o ROTE caiu 1,4 pp nos G-SIBs e subiu 0,5 pp nos outros bancos. Sendo nos G-SIBs em média de 7,7% e nos bancos não sistémicos, em média, de 10,3%.

Crédito Agrícola com lucros a caírem 51% para 37,5 milhões no primeiro trimestre

Esta redução de 50,7%, segundo o grupo, “é influenciada pelos resultados, não recorrentes, obtidos no 1º trimestre de 2021, relacionados com “ganhos líquidos com operações financeiras e com juros retroactivos, referentes a 2020, recebidos no âmbito do programa de financiamento do BCE – TLTRO III”. O ROE do Grupo CA fixou-se em 7,1% em março.
Comentários