Câmara do Funchal aprova Orçamento e Plano Diretor Municipal

O presidente da autarquia, Paulo Cafôfo, refere que orçamento terá como prioridade áreas como: a habitação social, a educação, as zonas altas, e a reabilitação urbana.

A Câmara do Funchal aprovou ontem, na reunião da autarquia, o Orçamento para 2018 e ainda o Plano Diretor Municipal (PDM).

O presidente da autarquia, Paulo Cafôfo, referiu que o Orçamento do município é “um instrumento crucial” para as opções políticas e as prioridades que foram estabelecidas para a cidade.

Cafôfo diz que o Orçamento da autarquia “teve a participação de todas as forças políticas” e que o documento integra “propostas da oposição”.

O edil salienta que o Orçamento da Câmara Municipal para 2018 é de 100,2 milhões de euros e contempla um aumento no investimento de 30% para os 25 milhões de euros tendo como prioridade áreas como: a habitação social, a educação, as zonas altas e a reabilitação urbana.

O Orçamento do município teve votos favoráveis da ‘Coligação Confiança’ e a abstenção do PSD e do CDS-PP.

Cafôfo abordou ainda o PDM realçando que se está “a cumprir a última fase para a sua implementação”. O edil destaca este documento como sendo “essencial” e que por exemplo identifica “as zonas de risco e introduz limitações à construção”.

O presidente da autarquia refere que com o PDM as habitações de génese ilegal poderão ser legalizadas. Cafôfo explica o documento seja agora para a Direcção Regional do Ordenamento do Território e Ambiente (DROTA), uma entidade à qual pede “uma resposta pronta” tendo em conta que a cidade já tem diversos “investimentos suspensos” à espera desta aprovação.

O PDM teve a aprovação da ‘Coligação Confiança’ e a abstenção do PSD e do CDS-PP.

Relacionadas

Vereação do PSD entrega sete propostas para o Orçamento Municipal do Funchal

Entre as medidas está a devolução do IRS e a extinção da taxa de derrama municipal.

Rui Barreto assinala lucidez da autarquia do Funchal em manter taxa da derrama

O vereador do CDS-PP na Câmara do Funchal refere que as famílias estão saturadas de carga fiscal e que o município precisa de alívio nos impostos de modo a gerar riqueza e emprego.
Recomendadas

Médicos internos preenchem totalidade das 39 vagas disponibilizadas à Madeira

Este processo, que decorre em simultâneo a nível nacional, é acompanhado na Região Autónoma da Madeira pelo Instituto de Administração da Saúde (IASAÚDE), entidade responsável pelo Internato Médico na Região.

Funchal: Prorrogado prazo de reabilitação da ETAR

Foi aprovada a participação da Câmara num instituto sem fins lucrativos, o Instituto para o Desenvolvimento e Inovação Tecnológica (IDEA).

Madeira aprova 74 contratos-programa de desenvolvimento desportivo no valor de quatro milhões de euros

Foi autorizada ainda a celebração de um acordo de cooperação entre o Instituto de Segurança Social da Madeira e a Associação Santana Cidade Solidária, de 21,4 mil euros, relativo ao financiamento das respostas sociais loja social e atendimento e acompanhamento social.
Comentários