Câmara do Funchal avança este ano com novos projetos de apoio aos empresários

Cristina Pedra realçou que estratégia da autarquia até 2025 é continuar a “dar um impulso” ao tecido empresarial, criando condições para que as empresas cresçam com mais vendas e mais criação de postos de trabalho”.

Durante a cerimónia de contratualização dos apoios das candidaturas ao ALAVANCAR e RE-ABRIR, que decorreu esta terça-feira, no Salão Nobre da edilidade, a vice-presidente da autarquia anunciou que os apoios ao tecido empresarial vão continuar este ano. “ A Câmara do Funchal vai apresentar brevemente dois projetos que serão a sedimentação destes dois programas que foram ganhadores, além de um outro que está a ser estudado para ajudar os pequenos e microempresários”, revelou.

Cristina Pedra lembrou que o ALANCAR, lançado em julho de 2022, esgotou a verba inicial de 250 mil euros, tendo sido reforçada em 150 mil euros em dezembro.

Desde o início a autarquia registou um total de 96 candidaturas, tendo sido aprovadas 57 no montante de 400 mil euros. A adesão a este programa bateu recordes. Com o reforço da dotação em mais 150 mil euros, esta terça-feira foram contratualizadas 18 candidaturas no montante de 129,7 mil euros.

Já em relação ao RE-ABRIR, com um orçamento disponível de 250 mil euros, registou-se um total de 57 candidaturas. Hoje foram contratualizadas dez candidaturas no valor de 28,8 mil euros.

Cristina Pedra destacou o “êxito” dos dois programas, criados pela autarquia do Funchal, em julho do ano passado, e que “teve por objetivo ser um complemento, perante as necessidades identificadas pelo Balcão do Investidor, e não sobrepor ou duplicar aos apoios que já existem”.

O programa ALAVANCAR, com verbas a fundo perdido é destinado para pequenas obras de remodelação de espaços comerciais. Já o RE-ABRIR concede comparticipa em 50% o valor das rendas para pequenas e médias empresas.

A autarca realçou que estratégia da autarquia até 2025 é continuar a “dar um impulso” ao tecido empresarial, criando condições para que as empresas cresçam com mais vendas e mais criação de postos de trabalho”.

Recomendadas

Presidente da Câmara do Funchal alerta para importância de adaptação do consumo aos recursos financeiros

O presidente da autarquia do Funchal disse que os consumidores devem “consumam bem e adequadamente” e de “forma regrada”.

Saiba aqui quais os principais constrangimentos dos consumidores madeirenses e o que reivindicam para 2023

Os consumidores reivindicam a atribuição do subsídio de mobilidade no ato da compra da passagem aérea entre o continente e a Região Autónoma da Madeira. Ou seja, que entre em pleno vigor o já estabelecido na Lei.

A indignação e preocupação dos portugueses

Todos os dias nos confrontamos com um brutal aumento dos produtos alimentares; com o aumento da energia; com o aumento dos juros do empréstimo para a habitação; o aumento das portagens e transportes; e com uma larga percentagem de salários precários (ou mesmo acima da média) que não conseguem corresponder a estes aumentos.
Comentários