Câmara do Funchal está a desenvolver ‘plano municipal’ para apoio a pessoas sem-abrigo

A CMF tem “acionado, num trabalho conjunto com outras instituições, mecanismos necessários, para a promoção da saúde psicológica da população, reduzindo assim os riscos psicossociais e aumentando os fatores de proteção e resiliência”, garantiu a vereadora com o pelouro da saúde, educação e da área social, Helena Leal.

A Câmara Municipal do Funchal (CMF) está a desenvolver um plano municipal para apoio a pessoas em situação de sem abrigo, que implica parcerias com várias entidades sociais, nomeadamente nas áreas da saúde mental e toxicodependência. A informação foi transmitida pela vereadora da autarquia com os pelouros da Saúde, da Educação e do Social, Helena Leal.

A vereadora referiu que a CMF tem “acionado, num trabalho conjunto com outras instituições, mecanismos necessários, para a promoção da saúde psicológica da população, reduzindo assim os riscos psicossociais e aumentando os fatores de proteção e resiliência” e que, no caso dos sem-abrigo, está a desenvolver um “plano municipal” em parceria com várias entidades, para uma resposta mais “efetiva e concertada “a esta problemática.

Helena Leal falava à margem das V Jornadas Hospitaleiras de Saúde Mental, que decorreu na Casa de Saúde Câmara Pestana, vincando que a autarquia do Funchal tem como grande preocupação “pensar e desenvolver políticas adaptadas às situações de vulnerabilidade da população, não só no que toca aos consumos e à delinquência, mas também a outras áreas associadas, nomeadamente à situação de pessoas sem-abrigo e da saúde mental”.

A vereadora não adiantou quais as parcerias e protocolos específicos delineados entre a CMF e as entidades sociais, mas assegurou que “a autarquia irá continuar a desenvolver uma política de proximidade, tentando a cada dia que passa, desenvolver e melhorar o resultado da nossa ação, no presente, mas acima de tudo, assegurando medidas que possam consolidar o futuro da nossa população”.

O objetivo é “caminhar no sentido da equidade, apoiando os mais vulneráveis, garantindo uma cidade cada vez mais segura, saudável e pensada para as pessoas”, salienta Helena Leal.

“Por muito que avance a ciência e a tecnologia, o valor imensurável das pessoas e das relações humanas, dificilmente será alcançado. Acreditamos que um sistema humanizado, será sempre um sistema mais forte e equilibrado, com impacto positivo em tudo o resto”, afirmou Helena leal, acrescentando que “a humanização começa em cada um de nós e que todos somos parte essencial nesta construção, na qual o nosso Município do Funchal fará sempre questão de se incluir”.

 

 

 

 

Recomendadas

Câmara do Funchal distingue empresários da restauração e duas associações de táxis em comemoração do Dia Mundial do Turismo

Pedro Calado enalteceu “a qualidade e a excelência” dos serviços prestados pelo sector de táxis, sublinhando que estes profissionais são muitas vezes “os grandes embaixadores da Madeira” e os primeiros a terem o contacto direto com os turistas quando chegam à cidade .

Comercialização de banana na Madeira aumentou 17,3% face ao ano passado

Do número total de bananas comercializadas de janeiro a agosto deste ano, 84,7% foi expedida, tendo como principal destino o Continente. Este valor era de 84,0% em 2021.

Valor mediano de avaliação bancária de habitação na Madeira atingiu máximos em agosto

Em agosto deste ano, o valor mediano de avaliação bancária de habitação RAM ficou em 1.385 euros/m2, um aumento de 1% em relação ao mês anterior e de 11,3% face ao mesmo mês do ano anterior.
Comentários