Câmara do Funchal mantém taxas de IMI, IRS e de Derrama no pacote fiscal

A reunião de câmara aprovou o mapa de pessoal para 2018 e a adjudicação de quatro viaturas para combate aos incêndios florestais.

A reunião de Câmara do Funchal aprovou hoje no âmbito do pacote fiscal a manutenção das taxas de IMI, IRS e da Derrama. A medida teve votos favoráveis dos vereadores da ‘Coligação Confiança’ e a abstenção da vereação do PSD e do CDS-PP Madeira.

O vice-presidente da autarquia, Miguel Gouveia, explica que o município “mantém a política de desagravamento fiscal”.

Miguel Gouveia explica que no âmbito do pacote fiscal o município vai manter a taxa de IRS nos 3,5% sobre a matéria colectável e o IMI e a Derrama nos 0,3% e nos 0,5%.

“De uma forma prudente não me parece que se possa devolver mais IRS do que o município já devolve”, esclarece Miguel Gouveia.

Sobre o pacote fiscal aprovado pela autarquia Miguel Fouveia diz que este é “responsável” que “não embarca em demagogias de devolver mais do que se pode” e assume “o compromisso da câmara com os funchalenses”.

A reunião de câmara aprovou, por unanimidade, o mapa de pessoal para 2018 onde se prevê o “descongelamento para carreiras” e os “procedimentos de contratação quer de quadros técnicos como de quadros técnicos superiores”.

O município vai também fazer a adjudicação de quatro viaturas para combate aos incêndios florestais ao abrigo do programa operacional de Sustentabilidade e Eficiência no Uso de Recursos (PO SEUR) para os Bombeiros Sapadores do Funchal no valor de 668 mil euros.

Recomendadas

Madeira aprova 74 contratos-programa de desenvolvimento desportivo no valor de quatro milhões de euros

Foi autorizada ainda a celebração de um acordo de cooperação entre o Instituto de Segurança Social da Madeira e a Associação Santana Cidade Solidária, de 21,4 mil euros, relativo ao financiamento das respostas sociais loja social e atendimento e acompanhamento social.

Câmara da Ponta do Sol conclui intervenção na escarpa da Madalena do Mar

A intervenção teve como objetivo a retirada controlada de blocos de pedra de grandes dimensões.

Governo da Madeira apresenta proposta para apoio a fundo perdido no crédito à habitação

A proposta tem por objetivo aumentar o rendimento disponível das famílias e com isso diminuir o efeito provocado pela subida das taxas de juro do BCE, e também o aumento da inflação. O limite máximo de apoio previsto é de 200 euros por mês.
Comentários