Câmara do Funchal quer continuar aposta na arte urbana para reabilitar espaço público

Esta obra teve o propósito de criar um novo elemento de atratividade na envolvência do antigo Matadouro do Funchal numa zona onde a autarquia pretende criar um pólo de inovação e criatividade.

Foi inaugurado esta quinta-feira os murais ‘A Baleia’ e ‘A Cauda da Baleia’, com a autoria de Marcos Milewski, no Auto-Silo do Campo da Barca. Esta ocasião serviu para que o presidente da Câmara do Funchal, Paulo Cafôfo, reforça-se a intenção do município em continuar a apostar na arte urbana como forma de reabilitar o espaço público.

“O que fizemos foi pegar numa parede completamente descaracterizada desta zona da cidade e criar um novo elemento de atratividade na envolvência do antigo Matadouro do Funchal”, explicou Cafôfo.

O edil referiu que neste local está previsto criar “um pólo de inovação e criatividade” havendo também o propósito de de “potenciar a descentralização dentro da nossa malha urbana” criando “condições de maior atratividade” noutras zonas da cidade.

Para Cafôfo a arte urbana serve para “requalificar o espaço público” mas também para “democratizar o acesso à cultura”.

Recomendadas

Câmara do Funchal lança campanha gratuita de recolha de “monstros”

O Município justifica a importância desta campanha, dado o aumento da produção de resíduos na quadra natalícia que se avizinha e de forma a garantir uma maior proximidade com a população. Os munícipes deverão contactar as respetivas Juntas de Freguesias para a devida inscrição, de modo a solicitar a recolha dos “monstros” na sua residência.

Madeira: Movimento de passageiros nos aeroportos ficaram a mais de 30% acima dos valores de 2019

Entre janeiro e setembro de 2022, o movimento de passageiros nos aeroportos da RAM foi de aproximadamente 3.062,5 mil, significando um acréscimo homólogo de 134% e de 17% face aos valores registados nos primeiros nove meses de 2019. 

Madeira com défice de oito milhões de euros

À semelhança do ano anterior, mais de metade da despesa (51,9% da despesa total) foi canalizada para a área social, onde se destaca o sector da Saúde com uma execução orçamental de 280,3 milhões de euros e a Educação com 296,5 milhões de euros.
Comentários