Câmara do Funchal vai implementar zonas de monitorização e controlo de água

O vice-presidente da autarquia, Miguel Gouveia, explica que este sistema tem permitido recuperações de perdas de água notáveis a nível nacional.

A reunião da Câmara Municipal do Funchal decidiu esta quinta-feira definir zonas de monitorização e controlo (EMC) com intervenção na rede de água. A autarquia terá uma equipa de recuperação de perdas em parceria com a Empresa Portuguesa de Águas Livres (EPAL).

O município já tem um projeto avaliado em 2.5 milhões de euros submetido ao programa operacional de Sustentabilidade e Eficiência no Uso dos Recursos (PO SEUR) tendo em vista a implementação desta medida.

O vice-presidente da Câmara Municipal do Funchal, Miguel Gouveia, explica que a autarquia pretende implementar este conceito de EMC no Funchal destacando que esta medida tem permitido “recuperações de perdas de água notáveis” a nível nacional.

Miguel Gouveia realça que este sistema contém “válvulas redutoras de pressão”, e um “sistema de telemetria que transmitem para um sistema de controlo toda a água que está a ser entregue numa determinada zona”. O vereador municipal acrescenta que isso permitie saber em tempo real “se existem degradação daquelas redes” e “com base em princípios econométricos consegue-se identificar quais as zonas que carecem de intervenção”.

Esta reunião decidiu adjudicar a concessão da ‘Gruta’, junto ao Parque de Santa Catarina, por um período de 15 anos, com uma renda mensal de 2010 euros. No caderno de encargos, diz Miguel Gouveia, estão previstas obras no valor de 100 mil euros.

Recomendadas

Câmara do Funchal lança campanha gratuita de recolha de “monstros”

O Município justifica a importância desta campanha, dado o aumento da produção de resíduos na quadra natalícia que se avizinha e de forma a garantir uma maior proximidade com a população. Os munícipes deverão contactar as respetivas Juntas de Freguesias para a devida inscrição, de modo a solicitar a recolha dos “monstros” na sua residência.

Madeira: Movimento de passageiros nos aeroportos ficaram a mais de 30% acima dos valores de 2019

Entre janeiro e setembro de 2022, o movimento de passageiros nos aeroportos da RAM foi de aproximadamente 3.062,5 mil, significando um acréscimo homólogo de 134% e de 17% face aos valores registados nos primeiros nove meses de 2019. 

Madeira com défice de oito milhões de euros

À semelhança do ano anterior, mais de metade da despesa (51,9% da despesa total) foi canalizada para a área social, onde se destaca o sector da Saúde com uma execução orçamental de 280,3 milhões de euros e a Educação com 296,5 milhões de euros.
Comentários