Câmara muda as datas no site para esconder atrasos nas obras de Lisboa

O DN avança hoje com a notícia de que os trabalhos deviam acabar em outubro mas só estarão concluídos em março.

A previsão inicial, que entretanto foi revista pela Câmara Municipal de Lisboa para o primeiro trimestre de 2017, indicavam que as zonas de Santos, Graça e Campolide deviam ter novas praças até ao final de outubro.

No entanto, avança a edição de hoje do DN, a mudança foi feita no site que disponibiliza dados sobre as obras, mas onde deixou de constar a informação de que a obra está atrasada.

No início da semana passada, escreve o DN, o site foi consultado e “eram visíveis algumas obras que não tinham indicação de data de conclusão e três que tinham a indicação de que iam terminar mais tarde do que o inicialmente previsto por motivos imprevistos – Largo de Santos, Largo da Graça e Rua de Campolide, todas iniciadas em maio e todas com final previsto para outubro.”

O DN avança também que, na resposta por e-mail, que chegou no feriado de 1 de dezembro, “estas três obras tinham já a indicação de que iriam estar concluídas no primeiro trimestre de 2017” mas sem referências a atrasos.

Relacionadas

Obras em Lisboa estão “a aproximar-se do fim”, garante autarca

Fernando Medina afirma que obras de requalificação da cidade devem ficar concluídas até abril. Depois disso, a preocupação da Câmara será apenas o parque de estacionamento do Campo das Cebolas.

Estão de volta os grandes projetos imobiliários

Mesmo o mercado sendo outro, o The Edge Group é um exemplo de que os grandes empreendimentos estão de volta ao país.
Recomendadas

Marques Mendes: “Costa Silva recupera autoridade ou sai. O país precisa de um ministro da Economia forte”

“De um Governo com maioria absoluta, à partida um Governo forte, esperava-se unidade, coesão, determinação, energia, mobilização, espírito reformista. O que encontrámos? Exatamente o contrário”, disse este domingo o comentador da SIC.

Moçambique baixa receitas fiscais do gás ao fundo soberano para 40%

Moçambique deverá ser um dos maiores exportadores mundiais de gás a partir de 2024, beneficiando não só do aumento dos preços, no seguimento da invasão da Ucrânia pela Rússia, mas também pela transição energética.

PCP defende aumento do salário mínimo nacional para 850 euros em janeiro

O secretário-geral do PCP acusou o Governo de querer “retomar todos os caminhos da política de direita, fazer comprimir ainda mais os salários, facilitar a exploração, abrir espaço para os negócios privados na saúde e na educação, condicionando ou justificando as suas opções com as orientações e imposições da União Europeia e do euro”.
Comentários