Câmara Municipal de Lisboa e a Startup Lisboa vão promover um hackathon para resolver o problema das casas e prédios abandonados

A solução vencedora recebe sete mil euros, mas também há prémios para quem ficar em segundo e terceiro lugar: dois mil e mil euros.

No final de Maio, nos dias 28 e 29, o Hub Criativo do Beato vai receber um hackathon cujo objectivo será «encontrar soluções inovadoras para as 48 mil casas vazias e edifícios devolutos em Lisboa».

Organizado pela Câmara Municipal de Lisboa e pela Startup Lisboa, o Hackathome, tem dez mil euros para dar às melhores ideias. Esta iniciativa tem como alvo «jovens universitários» e as candidaturas estão abertas até 24 de Maio: as equipas devem ter três a cinco membros.

Em concreto, a missão dos participantes é «pensar soluções digitais e sustentáveis (ao nível social, ambiental e económico) que possam ser implementadas na cidade para ajustar a oferta e a procura de habitação»

Segundo a organização, este é um problema que pode ser resolvido com empreendedorismo: «Lisboa tem quase 48 mil casas vazias ou edifícios devolutos que não estão a servir a sua função habitacional. Queremos apelar ao conhecimento e dinamismo do ecossistema empreendedor para definir políticas públicas apoiadas na co-criação com os cidadãos».

Ao evento físico do Hub Criativo do Beato vão chegar quinze equipas, que terão «24 horas para idealizar uma solução com base na tecnologia que combata os processos burocráticos e que simplifique o processo da informação sobre as casas vazias a quem quer comprar ou arrendar casa em Lisboa».

A solução vencedora recebe sete mil euros, mas também há prémios para quem ficar em segundo e terceiro lugar: dois mil e mil euros.

PCGuia
Recomendadas

Apple quer reforçar produção fora da China

A Apple quer aumentar a sua produção fora da China, estando as políticas rígidas adotadas por esse países contra a Covid-19 entre as razões para essa aposta. Índia e Vietname estão entre os destinos em consideração.

Operadoras “escondem” destino da base de dados com todas as comunicações

Nenhuma das grandes operadoras de telecomunicações que operam em Portugal revelam o que irão fazer com as bases de dados com informação sensível dos clientes, que o TC considerou inconstitucional.

Empresários sem literacia digital “ficam pelo caminho”

Formadores em economia digital e marketing digital dzem que os temas que mais aliciam os executivos são inteligência artificial, redes sociais, SEO/websites, blockchain ou faturação eletrónica.
Comentários