Camiões do lixo voltam às ruas depois de três dias sem recolha

A política de não recolher o lixo na véspera e no dia de Natal, retomando o serviço apenas a 26 de dezembro, faz de Lisboa um caso raro entre as principais capitais europeias. Esta quarta-feira, passado três dias sem recolha, os camiões do lixo saíram às ruas de Lisboa.

Esta quarta-feira os camiões de recolha de lixo saíram às ruas de Lisboa, pela primeira vez desde sábado, e encontraram um cenário que se tem tornado recorrente na capital: caixotes a abarrotar, sacos empilhados nos passeios, resíduos à solta por entre as pedras da calçada. O cenário é descrito pelo o jornal ”Público” na edição de quinta-feira.

Todos os anos a situação se repete: nos dias 24 e 25 de dezembro não há recolhas e a Câmara Municipal de Lisboa pede aos residentes que guardem o lixo em casa. Mas muitos resíduos, domésticos e comerciais, acabam na via pública, aí esperando uma ou duas noites por quem os venha buscar. Este ano, como o dia 23 calhou a um domingo, em que também não há recolhas, ainda mais lixo apareceu nas esquinas da cidade.

A política de não recolher o lixo na véspera e no dia de Natal, retomando o serviço apenas a 26 de dezembro, faz de Lisboa um caso raro entre as principais capitais europeias.

Em Madrid não há recolha na noite de 24 e na manhã de 25, mas à tarde recomeça. Em Roma, a braços com uma crise de lixo sem precedentes, teve recolha ininterrupta este ano. Em Paris, onde o lixo é recolhido por serviços municipais em alguns arrondissements (divisões administrativas) e por empresas privadas noutros, o único dia de paragem é no dia 1 de maio. Em Berlim e Londres, com sistemas em que o lixo é recolhido em dias específicos da semana consoante o tipo (orgânico, plásticos, papel, etc.), apenas no dia de Natal é que não houve qualquer recolha.

A realidade lisboeta contrasta também com a de outros portugueses. No Porto, esta quarta-feira amanheceu com a cidade mais limpa do que o habitual na quadra natalícia. A autarquia – que internalizou recentemente o serviço e vai renovar toda a sua frota em 2019, através do “aluguer ocasional” – reforçou os trabalhos no domingo, com “mais circuitos extra na recolha seletiva” e só suspendeu o serviço na noite de 24, retomando-o ainda ao final do dia de 25.

Na Grande Lisboa, Oeiras (que só suspendeu a recolha na noite de 24) e Cascais (que não suspendeu nenhum dia, apenas adaptou os horários) são dois municípios que divergem da capital. Já nos concelhos da Amadora, Loures e Odivelas a opção é a mesma: o lixo fica por recolher na noite de 24 e durante o dia 25, regressando o serviço a 26.

Recomendadas

Crise climática deve ser prioridade de todos os governos e organizações multilaterais, diz Guterres (com áudio)

O secretário-geral da ONU, António Guterres, defendeu hoje que a crise climática deve ser prioridade máxima de todos os governos e organizações multilaterais e pediu que as empresas de combustíveis fósseis sejam responsabilizadas pela destruição do planeta.

Novos satélites para prever o clima lançados a partir do final do ano

A Organização Europeia para a Exploração de Satélites Meteorológicos anunciou hoje o lançamento, no final do ano, de uma nova geração que melhorará e acelerará o envio de dados a meteorologistas de toda a Europa sobre acontecimentos climáticos graves.

Situação de seca meteorológica diminuiu significativamente até 15 de setembro

Nos primeiros 15 dias de setembro verificou-se um “desagravamento significativo” da situação de seca meteorológica em todo o território, em especial nos distritos da Guarda, Viseu e Castelo Branco, anunciou hoje o IPMA.
Comentários