PremiumCandidata a líder da JS ganha 110 mil euros em ajustes diretos

O preço total dos contratos era de 256 mil euros (mais IVA), mas foram interrompidos. Maria Begonha acabou por receber 110 mil euros por 28 meses de trabalho de assessoria ao vereador Duarte Cordeiro, do PS. “Tenho o maior orgulho”, afirma Begonha.

No dia 9 de outubro, Maria Begonha, 29 anos de idade, anunciou a sua candidatura à liderança da Juventude Socialista (JS). Poucos dias antes rescindiu um contrato por ajuste direto que firmara com a Câmara Municipal de Lisboa (CML), visando a aquisição de serviços de “assessoria nas áreas de implementação de políticas públicas e gestão de projeto nas áreas de economia e inovação, no gabinete do vereador Duarte Cordeiro”, do Partido Socialista (PS). Celebrado em novembro de 2017, esse contrato previa o pagamento de cerca de 180 mil euros a Begonha. Mas foi rescindido no dia 30 de setembro de 2018, tendo sido pagos cerca de 42 mil euros.

Não foi o único contrato por ajuste direto que a militante do PS, ex-deputada na Assembleia Municipal de Lisboa (2013-2016), obteve da CML. Em abril de 2016 já tinha celebrado outro, visando a prestação dos mesmos serviços no gabinete do vereador Duarte Cordeiro, por um valor total de 76 mil euros (dos quais foram pagos cerca de 68 mil euros até ao término do contrato, em outubro de 2017). Em suma, Begonha prestou serviços de assessoria no gabinete de Cordeiro ao longo de 28 meses, através de dois contratos por ajuste direto, tendo recebido 110 mil euros no total. O que perfaz cerca de 4 mil euros por cada mês de trabalho. A título de comparação, o salário-base do Presidente da República é de 6.688 euros brutos.

Questionada sobre os dois contratos que firmou com a CML, Begonha responde da seguinte forma: “O meu salário era de cerca de 2 mil euros líquidos, valor definido e aprovado, tendo recebido o mesmo vencimento que os meus colegas assessores em todos os gabinetes da CML, com a mesma formação e na mesma função do que eu. O valor do meu último contrato publicado (180 mil euros) é um valor para uma prestação de serviço por um período de quatro anos, sendo que eu apenas exerci funções por 11 meses, recebendo apenas o valor referente a esse período (42 mil euros)”.

 

Conteúdo reservado a assinantes. Para ler a versão completa, aceda aqui ao JE Leitor.

Recomendadas

PremiumAmazon diz que “continua a fazer investimentos” de cloud em Portugal

A empresa norte-americana de computação na nuvem Amazon Web Services (AWCS)está a desenvolver um centro de dados no país, mas não se compromete com uma data de abertura.

PremiumMudar modelo de negócio é uma opção para enfrentar “a maré de incertezas”

Empresas que não entendam o cenário macroeconómico enfrentam um futuro sombrio, alerta o CEO da DFK International. Consultoras “devem somar serviços”, diz em entrevista ao JE.

PremiumEmpresários pedem “velocidade” nos dossiers da economia e turismo

Confederações de empresários da indústria e de turismo agradecem aos secretários de Estado demissionários e esperam que os novos continuem o trabalho já realizado, concretizando planos anunciados.
Comentários