PremiumCandidatos a bastonário abrem guerra às sociedades multidisciplinares

António Jaime Martins defende que lei aprovada na generalidade sobre profissões reguladas é “inconstitucional e ilegal”. Paulo Pimenta diz que proposta é “da maior gravidade” e pede “bom senso”. Menezes Leitão, que se recandidata, é mais comedido, mas critica “ingerências”.

O dossiê das ordens profissionais era para estar fechado no Parlamento antes das férias de verão, mas passou para setembro e os advogados mantém-se expectantes sobre o futuro das profissões reguladas em Portugal.

A discussão e votação na especialidade deste diploma, que também marcará a rentrée política, promete marcar a campanha para as eleições na Ordem dos Advogados, previstas para novembro. Ao JE, três dos candidatos à liderança da Ordem – o atual bastonário Menezes Leitão, António Jaime Martins e Paulo Pimenta – apontam baterias ao diploma, por abrirem a porta às sociedades multidisciplinares compostas por advogados e outros profissionais, como consultores e contabilistas.

Conteúdo reservado a assinantes. Para ler a versão completa, aceda aqui ao JE Leitor

Recomendadas

Legalworks assessora produtora Sagesse nas gravações de “Velocidade Furiosa 10” em Portugal

O escritório fundado por Rui Gomes da Silva foi responsável pela elaboração e adequação dos contratos que acompanharam a produção, nomeadamente as negociações com a Norscut, no âmbito da utilização da A24.

Advogados de Julian Assange acusam CIA de espionagem e processam agência

Os advogados de defesa do fundados do WikiLeaks alegam que a agência gravou conversas e copiou dados dos telefones e computadores de Assange.

Morais Leitão e Garrigues assessoram compra do Lx Factory

A sociedade de advogados da Rua Castilho apoiou a ‘joint venture’ constituída pela Europi e pela Arié Investimentos e o escritório ibérico esteve ao lado da Keys.
Comentários