CAP promove vinhos portugueses em Israel

Ao todo, 13 produtores nacionais estiveram em Tel Aviv para dar a provar os seus vinhos a “um mercado altamente sofisticado, que procura experiências e produtos de elevada qualidade”.

A Confederação dos Agricultores de Portugal (CAP) organizou esta semana, pela primeira vez, uma ação de promoção de vinhos portugueses em Israel.

“Neste roadshow, que incluiu um jantar vínico, uma masterclass e uma prova de vinhos, participaram 13 produtores: Abegoaria; Adega da Vermelha; Adega de Ponte da Barca; Adega de Ponte de Lima; Campelo; Casa Ermelinda Freitas; Casa Paciência; Casa Relvas; Casa Santos Lima; Caves da Montanha; José Maria da Fonseca; Manuel Costa e Filhos; e Santos e Seixo”, refere a confederação de agricultores em comunicado.

Ao todo, 13 produtores nacionais estiveram em Tel Aviv para dar a provar os seus vinhos a “um mercado altamente sofisticado, que procura experiências e produtos de elevada qualidade”.

O mercado israelita conta com cerca de 10 milhões de habitantes, dos quais quatro milhões se concentram na cidade de Tel Aviv. “São, por isso, consumidores cosmopolitas e exigentes, que requerem experiências  gastronómicas e vínicas diferenciadas, e que estão disponíveis para pagar um preço elevado no que diz respeito ao vinho”, refere a CAP.

Luís Mira, secretário-geral da CAP, salienta no comunicado que “sendo um mercado com poder de compra, que procura produtos e experiências de qualidade, tem um potencial enorme para os vinhos portugueses, com a vantagem de ter poucas barreiras à entrada”.

“De facto, este mercado diferencia-se de muitos outros pela atitude dos operadores, que tomam decisões de compra num curto período de tempo, em oposição a outros onde este tipo de processo é bastante mais moroso chegando a durar vários meses”, conclui.

A ação de promoção, organizada pela CAP, contou com a parceria da Wine Fairy em Israel.

Recomendadas

Confederações agrícolas unem-se contra extinção das direções regionais do sector

Em comunicado conjunto enviado esta quarta-feira às redações, AJAP, CAP, CNA e Confagri referem que o entendimento “unânime” é de que a decisão é “altamente lesiva” para o sector agrícola. No documento, apela-se a que o Governo volte atrás na decisão, de forma imediata e inequívoca.

“Apoio ao rendimento dependerá de produção sustentável”, diz ministra da Agricultura

A ministra da Agricultura e da Alimentação considera que a reforma da Política Agrícola Comum vai valorizar a pequena e média agricultura, de proximidade e circuitos curtos, apostando em simultâneo no reforço da competitividade.

Escola Agrária de Elvas ensina agricultura sustentável há 22 anos

Muito antes das orientações estratégicas da ONU ou de Bruxelas, já o Politécnico de Portalegre, oferecia um mestrado em agricultura sustentável. O tema, um dos grandes desafios da humanidade, impulsiona ofertas no ISA e no IPLeiria.
Comentários