Capital do Natal avança com queixa-crime contra promotores turísticos

A organização da Capital do Natal, evento que decorre em Algés, Oeiras, distrito de Lisboa, disse hoje que vai apresentar queixa-crime contra os promotores turísticos que “adulteraram a oferta do parque”, o que defraudou “um conjunto alargado de pessoas”.

Em causa estão “a promoção de notícias e de material publicitário, assim como a compra de espaço publicitário, na maioria dos casos realizada em Espanha, contrariando a informação oficialmente divulgada, o que criou a falsa expectativa de que a Capital de Natal dispunha, entre outros equipamentos, de pistas de ski”, avançou a organização do evento, em comunicado, referindo que a queixa-crime vai ser apresentada na próxima semana.

Além de “todos os promotores turísticos que adulteraram a oferta do parque induzindo em erro e defraudando um conjunto alargado de pessoas”, a organização da Capital do Natal vai acusar “todos aqueles que fomentaram ou se aproveitaram de tal atuação ilícita”, referindo-se à “projeção dessa deturpação que foi levada a cabo em Portugal por outras entidades, inclusive em proveito próprio”.

Considerando que tal prejudicou a Capital do Natal, “o seu bom nome e imagem”, a organização do evento, promovido como o maior parque de Natal da Europa, lamentou o sucedido, assegurando que a responsabilidade pelo mesmo lhe é “totalmente alheia”.

No âmbito do procedimento criminal, a organização “promete levar até às últimas consequências a identificação dos responsáveis por este crime e disponibilizará aos impactados por esta publicidade enganosa toda a informação que lhe seja solicitada”.

A decorrer em Algés desde 29 de novembro até 12 de janeiro, a Capital do Natal é um espetáculo de Natal que se realiza num parque temático.

“Com um conceito totalmente original, o visitante tem a oportunidade de entrar numa história e interagir com as suas personagens. O parque é o palco e cenário da história, onde os protagonistas principais são os elfos, os seus companheiros humanos que ajudaram na construção e, naturalmente, todos os visitantes”, indicou anteriormente a organização, acrescentando que as questões como a sustentabilidade ambiental e a exequibilidade estão presentes em toda a experiência do parque, que “alia ao ‘storytelling’ a sensibilização e transmissão de valores”.

Na terça-feira, a organização admitiu que alguns turistas espanhóis possam ter sido induzidos em erro pela promoção do evento feita por agências e blogues, reconhecendo que nem tudo correu bem no dia da abertura.

Em declarações à agência Lusa, Rui Madureira explicou que a organização começou a reparar em críticas que surgiram nas redes sociais na semana passada e provocaram “surpresa”. Depois de analisado o conteúdo, foi verificado que “várias agências de viagens, ‘sites’ e blogues em Espanha” divulgaram informações que não correspondiam à realidade.

“Pura e simplesmente tinham apanhado as informações que estavam disponíveis nos meios de comunicação social em Portugal e com traduções livres induziram as pessoas em erro”, disse Rui Madureira, adiantando que estas entidades criaram uma imagem a que a organização é “alheia, numa perspetiva falaciosa do projeto”.

Na segunda-feira, a Câmara de Oeiras comprometeu-se a “proceder à averiguação dos factos” que levaram centenas de turistas espanhóis a reclamar contra o parque.

A Capital do Natal foi apresentada como um “sítio mágico” que dá a oportunidade de se “brincar com neve real”, “patinar na maior pista de gelo” e ver espetáculos de luzes num grande lago no centro do recinto, entre outros.

Relacionadas

“Publicidade enganosa”. Espanhóis criticam Capital do Natal em Algés

A neve “a sério” parece “lama”, o preço é demasiado elevado para esperar uma hora e meia nas “filas indetermináveis”. “Nem na Disneyland Paris se está tanto tempo com as crianças à espera”, são alguns dos comentários dos visitantes espanhóis à cidade Natal em Algés.
Recomendadas

PremiumMemórias pessoais e transmissíveis

Mas os diários da minha tia Gália eram de um tipo muito específico: à medida que os lia, a sua textura peculiar — que se assemelhava sobretudo a uma rede de pesca de malha grande — tornava‑se cada vez mais enigmática e interessante.

PremiumGeorge Clooney e o Speedmaster ’57

Coincidindo com o 65º aniversário da linha Speedmaster, a coleção completa Omega Speedmaster ’57 inclui agora oito novos modelos.

Cancelados dois concertos de Roger Waters na Polónia devido a posicionamento pró-russo

O co-fundados dos Pink Floyd iria atuar em Cracóvia em abril do próximo ano, na sala de espetáculos “Tauron Arena”, mas, segundo adiantam alguns meios de comunicação da Polónia, as autoridades polacas pretendem declarar Roger Waters como ‘persona non grata’.
Comentários