Cápsula da Boeing aterra em segurança após falhar acoplagem

A cápsula espacial da empresa aeronáutica Boeing, a Starliner, sem tripulação a bordo, aterrou hoje em segurança depois de ter falhado a acoplagem com a Estação Espacial Internacional.

NASA

A cápsula espacial da empresa aeronáutica Boeing, a Starliner, sem tripulação a bordo, aterrou hoje em segurança num deserto no oeste dos Estados Unidos, depois de ter falhado a acoplagem com a Estação Espacial Internacional (EEI), noticia a AFP.

O fracasso parcial da missão é um revés para o gigante da indústria aeroespacial, cuja reputação está manchada por dois acidentes da aeronave 737 MAX ocorridos este ano, nos quais morreram mais de 300 pessoas, e para a NASA, que conta com este veículo para enviar os seus astronautas em 2020 à EEI.

A cápsula CST-100 Starliner pousou ao início da madrugada na base de White Sands, às 05:58 locais (12h58 em Lisboa), com o seu regresso à Terra transmitido em direto, e o aparelho foi desacelerado por três grandes paraquedas e a aterragem amortecida por airbags.

“O veículo parece estar em condições fantásticas”, relataram as equipas de recuperação, de acordo com Steve Siceloff, da Boeing. A cápsula foi lançada na sexta-feira em Cabo Canaveral, Florida, na costa do Atlântico, pelo foguetão Atlas V, construído pela United Launch Alliance.

Logo após a separação do foguetão, a Starliner não ativou os propulsores conforme devia e, portanto, não foi colocada na trajetória correta para ganhar altitude e alcançar a EEI, que está em órbita a 400 quilómetros de altitude.

Se o teste tivesse corrido como esperado, a cápsula CST-100 Starliner, que não transportava astronautas, passaria a próxima semana na EEI, como parte do ensaio para o voo com tripulantes, agendado para o próximo ano.

Porém, a cápsula acabou na órbita errada, pouco tempo depois do lançamento, na sexta-feira, e a Boeing e a agência espacial norte-americana NASA decidiram fazê-la regressar à Terra o mais depressa possível.

Segundo o diretor da NASA, Jim Bridenstine, aconteceu uma anomalia no sistema de contagem decrescente do veículo espacial, que fez com que o computador de bordo “pensasse” que já tinha feito as manobras necessárias para se colocar na órbita certa.

“A cápsula consumiu mais combustível do que o previsto para se manter controlada. Isso tornou impossível o encontro com a estação espacial”, afirmou o diretor da NASA.

O retorno aparentemente bem-sucedido poderá levar a NASA a decidir manter o cronograma do primeiro voo tripulado da Starliner no início de 2020, com o astronauta de testes da Boeing Chris Ferguson e os astronautas da NASA Nicole Mann e Mike Fincke.

Recomendadas

Dia Mundial do Professor. Marcelo felicita docentes pela “competência, dedicação e entusiasmo”

Numa nota publicada na página da Presidência da República na internet, é recordado que hoje se assinala o Dia Mundial do Professor, instituído pela UNESCO para “evidenciar o papel dos professores, absolutamente essencial para o sucesso das novas gerações e no desenvolvimento das sociedades”.

5 de outubro: Marcelo pede que se faça avançar democracia com “caminho para todos”

Num discurso de onze minutos, na cerimónia comemorativa dos 112 anos da Implantação da República, na Praça do Município, em Lisboa, Marcelo Rebelo de Sousa falou dos governos que “tendem quase sempre a ver-se como eternos” e das oposições “quase sempre a exasperarem-se pela espera”, afirmando em seguida que “nada é eterno” e que “a democracia é por natureza o domínio da alternativa, própria ou alheia”.

Cleanwatts vai criar uma Comunidade de Energia Renovável em Braga

“Vamos instalar uma Central Fotovoltaica de 1,2 MWp (megawatts-pico), com mais de 2.100 painéis solares, nos telhados da Arquidiocese de Braga, que será integrada numa Comunidade de Energia Renovável”, explica Basílio Simões, fundador e presidente da Cleanwatts.
Comentários