Carla Castro diz que não vai ser oposição interna e que partido saiu “mais forte” (com áudio)

Em declarações à agência Lusa à saída da VII Convenção Nacional da IL, na qual teve 44% dos votos dos liberais, mas foi derrotada pelos 51,7% de Rui Rocha – o terceiro candidato José Cardoso teve 4,3% – Carla Castro defendeu que o seu resultado prova que a candidatura da sua lista “era precisa”.

A candidata derrotada à liderança da IL Carla Castro garantiu hoje que não será oposição a Rui Rocha, com quem promete colaborar, considerando que o partido sai da convenção “mais forte” e “não vai voltar a ser o mesmo”.

Em declarações à agência Lusa à saída da VII Convenção Nacional da IL, na qual teve 44% dos votos dos liberais, mas foi derrotada pelos 51,7% de Rui Rocha – o terceiro candidato José Cardoso teve 4,3% – Carla Castro defendeu que o seu resultado prova que a candidatura da sua lista “era precisa”.

“Acho que saímos daqui um partido mais forte, mais robusto, com mais ideias. O partido não vai voltar a ser o mesmo e tenho um orgulho enorme daquilo que nós fizemos e agora como tinha dito – e como pusemos um cartaz à porta da convenção – no dia seguinte estaríamos todos juntos porque a nossa luta é lá fora, é contra o Governo, o estado de estagnação do país e o país precisa dos liberais e das políticas liberais”, assegurou.

Recusando a ideia de um partido dividido porque os “liberais gostam de concorrência, pluralidade e diversidade” e de debate de ideias, a candidata defendeu que a convenção “foram dois dias muito ricos”.

À pergunta se será oposição interna a partir de hoje, Carla Castro foi perentória: “claramente não”.

“A minha oposição, de uma forma muito clara, é ao Governo e ao estado de estagnação do país. Qualquer que fosse o resultado nós temos que estar unidos”, enfatizou.

Por isso, Carla Castro garantiu que o novo líder poderá contar consigo, garantindo que não tem “crispações” e que vai “continuar a trabalhar de forma construtiva e com soluções”.

Sobre uma eventual candidatura no futuro, a deputada respondeu que é “tudo muito precoce”, mas que “hoje foi uma boa batalha”.

“Eu sei as condições em que concorri e sei a improbabilidade que seria de ganhar. Os 44% eu sinto que é uma vitória enorme de adesão às ideias”, enfatizou.

Relacionadas

Rui Rocha eleito novo presidente dos liberais (com áudio)

À sucessão de João Cotrim Figueiredo apresentaram-se, pela primeira vez na história do partido, mais do que uma lista e disputaram a liderança os deputados e dirigentes Rui Rocha e Carla Castro e o conselheiro nacional José Cardoso na VII Convenção Nacional da IL, que termina hoje em Lisboa.

Rui Rocha promete transformação “muito rápida” no partido

No discurso de encerramento da VII Convenção da IL, no Centro de Congressos de Lisboa, o deputado diz que ouviu os membros, quer durante a campanha interna, quer durante a reunião magna.

Novo presidente da IL diz que Governo está esgotado e “politicamente morto”

No discurso de vitória das eleições internas da IL, Rui Rocha garantiu que o partido “assume as suas responsabilidades” e vai “liderar a oposição” como considera que tem feito até aqui, dando o exemplo da posição em relação à TAP, do posicionamento sobre “os abusos da pandemia” e do foco no crescimento económico.
Recomendadas

JE Podcast: Ouça aqui as notícias mais importantes desta quinta-feira

Da economia à política, das empresas aos mercados, ouça aqui as principais notícias que marcam o dia informativo desta quinta-feira.

Carlos Moedas defende que Estado devia rever lei de estrangeiros com mais de dez anos

Autarca sustenta que “Portugal precisa de imigrantes”, uma vez que “estamos a diminuir a população”, mas que é preciso que quem chega tenha regras revistas anualmente.

Ex-vereador do Chega ganha pelouro da fiscalização na Câmara do Seixal

Henrique Freire, vereador independente que foi eleito para a Câmara do Seixal pelo Chega, vai assumir o pelouro da Fiscalização e Contra-Ordenações. Oposição considera que esta é uma estratégia da CDU para assegurar a maioria no executivo camarário.
Comentários