Carlos César em ‘guerra’ com Catarina Martins: “Não aceitamos superioridade moral de nenhum partido”

Numa entrevista ao Expresso, a porta-voz do Bloco de Esquerda tinha acusado os socialistas de serem “permeáveis” à influência dos “grandes interesses económicos”. Carlos César respondeu hoje a Catarina Martins.

Depois de Catarina Martins ter criticado o Partido Socialista, Carlos César, líder da bancada parlamentar do PS, respondeu hoje, declarando que “não aceitamos nenhuma superioridade moral de nenhum partido, incluindo os nossos aliados”.

Numa entrevista ao Expresso, a porta-voz do Bloco de Esquerda tinha acusado os socialistas de serem “permeáveis” à influência dos “grandes interesses económicos.” A resposta de Carlos César, dada no programa “Almoços Grátis” da TSF, surge assim num momento em que a tensão entre o partido do governo e os parceiros parlamentares que o sustentam parece estar a subir.

Quando questionado acerca da relação com o Bloco e o PCP, Carlos César manteve em aberto a hipótese de um acordo depois das próximas legislativas, mas terá afirmado que “um bem maior seria a maioria absoluta”.

“Esta é uma relação que não tem futuro”

Perante as declarações de Catarina Martins e a resposta do líder da bancada parlamentar socialista, Luis Montenegro, deputado do PSD e parceiro de debate de César no programa da TSF, considerou que a “relação” entre o PS e o Bloco “não tem futuro” e “que vai acabar mal”: as declarações de Martins são “uma acusação grave”, considera Montenegro, e são um sintoma de “uma desconfiança subjacente” e de uma “vida dulpa na relação entre o Governo e BE”, que Montenegro classifica de doentia.

Relacionadas

Catarina Martins diz que relação do BE com o Governo está a atravessar “momento difícil”

Em causa está a decisão de deixar cair a proposta bloquista de incluir no Orçamento de Estado para o próximo ano (OE2018) uma nova taxa sobre as energias renováveis.

Não “significa nada em concreto para Portugal”. BE desvaloriza candidatura de Centeno ao Eurogrupo

O Bloco de Esquerda desvalorizou hoje a candidatura do ministro das Finanças português ao Eurogrupo, afirmando que, se vier a desempenhar o cargo, isso não “significa nada em concreto para Portugal”.

BE vai votar a favor do OE mas espera que PS não desiluda país nas rendas da energia

Catarina Martins acrescentou esperar que os socialistas não sejam o “velho PS” que “cede às pressões e aos lobbies poderosos da energia”, o que seria uma “desilusão para todo o país”.

Catarina Martins espera “mais do que um acordo de mínimos” no país em 2019

“Espero que depois desta legislatura o país esteja preparado para muito mais do que acordos de mínimos”, afirmou Catarina Martins em entrevista ao Diário de Notícias/TSF, hoje divulgada.

OE 2018 deve “responder à urgência do país”, defende Catarina Martins

A coordenadora do BE defendeu hoje que o próximo Orçamento do Estado deve “responder à urgência do país” no que diz respeito à proteção civil, pedindo ao Governo que articule com as bancadas parlamentares um “pacote florestal coerente”.
Recomendadas
Carlos Moedas

Moedas diz que classe política “tem que dar o exemplo de devoção pelo bem comum”

O presidente da Câmara de Lisboa considerou hoje que o 1.º de Dezembro ensinou que a “classe política tem que dar o exemplo de devoção pelo bem comum”, não podendo fechar-se “sobre si mesma” ou considerar ser “imune à crítica”.

Costa apela para celebração da “força da bandeira nacional” em mensagem do Dia da Restauração

 O primeiro-ministro António Costa homenageou hoje a “memória dos que lutaram e contribuíram” para a restauração da independência de Portugal, apelando para a celebração da “soberania” e da “força da bandeira nacional”, numa mensagem evocativa do 1.º de dezembro.

Marcelo agradece a ciganos que “deram a vida pela independência” e lamenta discriminação

O Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, lembrou hoje os ciganos que “deram a vida” pela independência nacional e lamentou a discriminação de que têm sido alvo em Portugal.
Comentários