Carlos Moedas: “Todos estamos muito cansados de pagar impostos”

Mensagem do presidente da Câmara de Lisboa aponta elevada carga fiscal, reforço da competitividade com outras cidades europeias e sinal para a recuperação económica como motivos para aumentar devolução de IRS dos munícipes de 2,5% para 3%. Abstenção de vereadores socialistas foi decisiva.

O presidente eleito da Câmara Municipal de Lisboa, Carlos Moedas, à chegada para as comemorações oficiais do 5 de Outubro, Dia da Implantação da República Portuguesa, realizadas na Câmara Municipal de Lisboa, 5 de outubro de 2021. MANUEL DE ALMEIDA/LUSA

O presidente da Câmara de Lisboa, Carlos Moedas, justificou o aumento da devolução do IRS para os munícipes, que passou de 2,5% para 3% com a aprovação na reunião de vereação desta segunda-feira de uma proposta da maioria de centro-direita, com a necessidade de contribuir para a recuperação económica e para a competitividade da capital portuguesa em relação a outras cidades europeias, mas numa mensagem de vídeo partilhada no Twitter criticou a carga fiscal praticada em Portugal.

“Todos estamos muito cansados de pagar impostos”, disse o social-democrata, que derrotou o incumbente socialista Fernando Medina, acrescentando que Portugal “é um dos países com maior carga fiscal na Europa” e que “temos que devolver às pessoas aquilo que é delas”.

Também na mensagem partilhada através das redes sociais, Carlos Moedas defende que a medida vai aumentar a competitividade de Lisboa “não em relação ao país, mas sim em relação a todas as cidades europeias”. E que a maior devolução de IRS aos munícipes, “num caminho de progressividade que queremos fazer de redução de impostos”, constitui um sinal “para que a economia possa reagir assim que conseguirmos sair desta pandemia”.

“Estes sinais políticos são muito importantes num momento que tem sido tão difícil para os lisboetas e para os portugueses”, acrescentou o autarca na mensagem partilhada horas depois da reunião de vereação em que a proposta foi aprovada graças à abstenção de cinco vereadores socialistas. Votaram a favor os sete eleitos da coligação de centro-direita Novos Tempos, enquanto os votos contra pertenceram a Rui Tavares, vereador do Livre, a Paula Marques, vereadora do Cidadãos por Lisboa – ambos eleitos na lista do PS -, aos dois vereadores do PCP (João Ferreira e Ana Jara) e à vereadora do Bloco de Esquerda, Beatriz Gomes Dias.

Relacionadas

Carlos Moedas diz que poder local é essencial para o país concretizar desafios

O novo presidente da mesa do Congresso da Associação Nacional de Municípios Portugueses (ANMP), Carlos Moedas, disse este domingo que os grandes desafios do país são “impossíveis” de cumprir sem o contributo do poder local.

Carlos Moedas toma posse na Câmara de Lisboa com cinco grandes desafios no horizonte (com áudio)

Governar sem maioria, distribuir responsabilidades por poucos vereadores, pôr em prática um programa eleitoral ambicioso, reverter a perda de população e conciliar conceitos de mobilidade são desafios que o novo presidente da Câmara de Lisboa enfrentará a partir de hoje e durante os próximos quatro anos.

Infografia | Novo mapa autárquico abala hegemonia socialista com epicentro em Lisboa

A conquista da capital por Carlos Moedas foi a principal de uma série de vitórias do centro-direita nas eleições autárquicas de 26 de setembro. O PS mantém a liderança em número de câmaras e de votos, assegurando a terceira vitória consecutiva, mas as coligações ajudaram o PSD a recuperar terreno. Para o PCP e PEV volta a repetir-se o pior resultado de sempre, restando-lhes 19 autarquias.
Recomendadas

João Cotrim de Figueiredo no regresso do Clube dos Pensadores

Líder do Iniciativa Liberal está no Porto para o regresso do Clube dos Pensadores, um grupo de debate enraizado na sociedade civil por onde já passaram quase todos os líderes políticos nacionais.

Ministro da Saúde quer reinício das negociações com sindicatos ainda em outubro

O ministro da Saúde, Manuel Pizarro, disse hoje em Coimbra que o regresso às negociações com os sindicatos dos médicos e enfermeiros “de outubro não passará”.

JE Podcast: Ouça aqui as notícias mais importantes desta segunda-feira

Da economia à política, das empresas aos mercados, ouça aqui as principais notícias que marcam o dia informativo desta segunda-feira.
Comentários