Parcerias de valorização empresarial

A impressão representa uma das despesas de mais difícil controlo no mercado empresarial. São poucas as organizações que conseguem indicar com precisão, através de métodos práticos de monitorização, quanto é gasto na totalidade e quanto podia ser economizado. Assim, justifica-se que os decisores recorram ao apoio de especialistas em outsourcing de impressão e gestão documental. […]


Notice: Undefined offset: 1 in /var/www/vhosts/jornaleconomico.pt/httpdocs/wp-includes/media.php on line 1031

Notice: Undefined offset: 2 in /var/www/vhosts/jornaleconomico.pt/httpdocs/wp-includes/media.php on line 1031

A impressão representa uma das despesas de mais difícil controlo no mercado empresarial. São poucas as organizações que conseguem indicar com precisão, através de métodos práticos de monitorização, quanto é gasto na totalidade e quanto podia ser economizado. Assim, justifica-se que os decisores recorram ao apoio de especialistas em outsourcing de impressão e gestão documental.

Existe já a possibilidade de adquirir impressoras, multifunções e respetivos serviços de impressão, programados de acordo com o ritmo de cada negócio. Para tal, é valioso o apoio dos fornecedores de impressão e gestão documental na definição de estratégias de impressão e implementação de soluções tecnológicas.

Como alternativa a um investimento inicial substancial, as empresas podem estabelecer contratos que incluam a disponibilização de equipamentos, consumíveis, manutenção e aconselhamento especializado e personalizado. Trata-se de um modelo que garante a monitorização e controlo da despesa, com eficiências associadas e em que o cliente só paga o que imprime, quando imprime.

O princípio dos serviços de impressão assenta num apoio continuado. Contudo, a natureza e nível deste apoio depende dos requisitos específicos de cada organização. Estas condições são definidas no início da parceria contratual, no seguimento de uma auditoria ao parque de impressão e volume de impressões, fundamental para delinear a estratégia de gestão.

Para uma avaliação precisa e eficaz, os fornecedores de serviços de gestão documental devem colocar algumas questões relacionadas com os equipamentos disponíveis na organização: “Como estão organizados no espaço?” ou “Quem os utiliza e com que propósito?” São ainda analisados volume, tipo de papel, dimensão, entre outros aspetos. Apenas assim se podem conceber planos de implementação personalizados, completos e eficientes.

Só um elevado nível de consultoria define um bom serviço de gestão. Entre as abordagens propostas, pode recomendar-se a substituição de diversos equipamentos por um único multifunções de menor dimensão, poupando recursos e eliminando ineficiências.

Aconselham-se ainda medidas de configuração predefinidas para evitar desperdícios, como a impressão em frente e verso, a suspensão automática do equipamento, quando o mesmo não se encontra em utilização, ou a impressão em modo de rascunho.

Concluída a fase de orientação inicial, segue-se a gestão e implementação das aplicações avançadas de impressão. As soluções de monitorização remota permitem uma resposta imediata na entrega de consumíveis ou na reparação de equipamentos, antes mesmo de falhas acontecerem, evitando tempos de inatividade.

As abordagens são sempre diferentes: poupanças em papel, energia, consumíveis, recursos humanos e tempo. Tudo depende das circunstâncias e necessidades específicas da empresa. As soluções são sempre personalizadas: automatizações, equipamentos eficientes, aplicações de impressão móvel, disposições estratégicas, configurações predefinidas. O apoio, contudo, deve ser total, invariavelmente.

Carlos Sousa,
Chief Executive Officer OKI Europe Lda., Sucursal em Portugal

Recomendadas

2023: O Novo Paradigma Laboral em Portugal como Oportunidade ou Desafio?

É importante ter a coragem de mudar a forma como vemos o paradigma laboral em Portugal, que historicamente passou por uma política baseada em competitividade por via dos baixos salários.

Sobre a tributação de lucros excessivos das empresas energéticas

Seria importante não ver a CST Energia como um incentivo para o fim da refinação de petróleo. As refinarias não produzem só combustíveis, são fonte de numerosos produtos utilizados por outras indústrias, e para os quais não existem soluções alternativas.

Para além do Campeonato do Mundo de Futebol está um mundo de campeonatos

Portugal, precisa urgentemente de ações concretas para que as pessoas sintam que o silêncio em que sofrem não é mais uma vez esquecido pelo seu país e pelos seus governantes. E quanto a essas ações não há grande mistério ou coisas do outro mundo.