Carrefour planeia IPO da Carmila

Operação poderá ocorrer no segundo trimestre de 2017 e poderá permitir à Carrefour captar até 4.500 milhões de euros.

O grupo francês de retalho ‘Carrefour’ planeia uma oferta pública inicial (IPO) de acções da sua divisão de imóveis comerciais ‘Carmila’ para o segundo trimestre de 2017, com potencial para captar até 4.500 milhões de euros, informa a Reuters, citando o jornal francês ‘Les Echos’.

O IPO deve ocorrer entre abril e junho do próximo ano, acrescentou a publicação, citando várias fontes. Segundo o ‘Les Echos’, os bancos de investimento ‘Morgan Stanley’ e ‘Sociètè Générale’ foram contratados para intermediar a possível oferta de acções da ‘Carmila’ pelo ‘Carrefour’.

Uma porta-voz do grupo francês recusou-se a comentar, contudo, o presidente do ‘Carrefour’, Georges Plassat, já havia dito em julho, que “era legítimo pensar num IPO no próximo ano” para a ‘Carmila’.

Analistas afirmam que a abertura de capital da ‘Carmila’, que figura entre as cinco maiores empresas de imóveis comerciais da Europa, permitirá ao ‘Carrefour’ levantar capital adicional para financiar a sua expansão.

Recomendadas

Wall Street regressa aos ganhos a meio da semana

A Apple destacou-se esta quarta-feira por afundar mais de 4%, na sequência de a gigante liderada por Tim Cook ter posto na gaveta o seu plano para aumentar a produção dos seus novos iPhones, mas as ações acabaram por encerrar a sessão com uma perda de pouco mais de 1%.

BCP cai 5% e arrasta bolsa de Lisboa para terreno negativo numa Europa mista

“O índice nacional esteve pressionado pela queda de 5% do BCP, numa sessão onde o setor Bancário demonstrou a pior performance na Europa”, escreveu o analista do Millennium BCP, Ramiro Loureiro, na sua análise de fecho de mercados.

CMVM publica cinco decisões de contraordenação, incluindo a coima de 75 mil euros à Orey Antunes

Na base das decisões da CMVM estão três processos por violação de deveres de atuação dos auditores. O processo contra a Orey Antunes por não ter divulgado os documentos de prestação de contas anuais e um processo por violação de deveres dos intermediários financeiros.
Comentários