Acabaram-se as borlas. Carregamentos de carros elétricos vão passar a ser todos pagos até junho

O Governo lançou hoje um concurso público internacional para a concessão durante 10 anos dos 634 postos de carregamento de carros elétricos da rede Mobi.e.

Acabaram-se as borlas. Todos os carregamentos de carros elétricos vão passar a ser pagos até abril de 2020. A data foi hoje avançada pelo ministro do Ambiente durante o lançamento do concurso de concessão da rede de postos de carregamento de carros elétricos da Mobi.e.

“O concurso é lançado agora. Sabemos que no dia 24 de fevereiro serão entregues as propostas que irão ser apreciadas. Este tipo de concursos por vezes têm litigância, a expetativa do presidente da Mobi.e é que até à Páscoa haja adjudicação, o que significa que em junho será possível que estes pagamentos já estejam a ser feitos. Mas não conseguimos garantir que este concurso será feito sem litigância”, disse João Pedro Matos Fernandes.

“A nossa expetativa é chegar ao final do primeiro semestre já com os pagamentos a serem feitos, com estes postos a serem bem geridos por entidades que estão mais vocacionadas para o poder fazer”, afirmou o ministro do Ambiente e da Transição Energética.

O concurso vai ser dividido em 11 lotes com cerca de 60 postos por lote, com cada a incluir postos lentos e semi-rápidos. Cada concorrente pode habilitar-se ao numero de lotes que pretender conduto poderá ganhar no máximo 3 lotes.

O prazo do concurso público internacional hoje lançado para a apresentação de propostas é 24 de fevereiro de 2020. As concessões têm a duração de 10 anos.

Recomendadas

SAD do Sp. Braga com resultado positivo de 3,1 milhões de euros na época passada

Relativamente ao exercício financeiro que terminou a 30 de junho deste ano, que ainda não refletem a venda do passe futebolístico do defesa central David Carmo (transferência fechada para o FC Porto na ordem dos 20 milhões de euros), a SAD dos bracarenses destaca que este foi um período “pautado por múltiplos constrangimentos associados à pandemia”.

Sonaecom rasga acordo com Isabel dos Santos

“À Sonae passa a ser imputada uma participação na NOS de cerca de 36,8% do capital social e dos direitos de voto nessa sociedade”, detalha a empresa liderada por Cláudia Azevedo.

Toyota Caetano Portugal com lucros de 7,3 milhões no semestre

Em comunicado à CMVM, a Toyota Caetano Portugal diz que os resultados líquidos consolidados ascenderam a 7,3 milhões de euros, o que compara com 11,7 milhões em dezembro de 2021 e com 2,98 milhões em junho de 2021.
Comentários