Casa Branca diz que Putin está mal informado e sente-se enganado pelos seus generais

“Acreditamos que Putin está a ser mal informado pelos seus conselheiros sobre o mau desempenho dos militares russos e como a economia russa está a ser prejudicada pelas sanções, porque os seus conselheiros superiores têm demasiado medo de lhe dizer a verdade”, segundo a Casa Branca.

Reuters

Vladimir Putin sente que foi induzido em erro pelos seus generais para a invasão da Ucrânia. Os generais russos terão omitido detalhes fundamentais sobre os planos do exército russo por temerem irritar o presidente. A informação partiu dos  serviços secretos norte-americanos e foi revelada na quarta-feira pela Casa Branca.

“Acreditamos que Putin está a ser mal informado pelos seus conselheiros sobre o mau desempenho dos militares russos e como a economia russa está a ser prejudicada pelas sanções, porque os seus conselheiros superiores têm demasiado medo de lhe dizer a verdade”, disse aos jornalistas a diretora de comunicação da Casa Branca, Kate Bedingfield, de acordo com a “CNBC”.

Esta falha em dizer a Putin o que realmente está a acontecer “resultou numa tensão persistente entre Putin e a sua liderança militar”, disse.

Um alto responsável norte-americano disse à “NBC News” que Putin “nem sabia que os seus militares estavam a perder recrutas na Ucrânia, mostrando uma clara quebra no fluxo de informações precisas para o presidente russo”.

Não foi revelado como estas informações chegaram à posse da Casa Branca. Mas a decisão de revelar informações secretas e classificadas ao publico em geral é uma tática nova nesta guerra.

Várias vezes, a Casa Branca já deu este passo inédito, desclassificando informações sobre os planos secretos de invasão de Putin e divulgando-as ao público. Até ao momento, todas as informações desclassificadas vieram a provar ser confiáveis, destaca a imprensa norte-americana.

Recomendadas

Zelenskiy alerta membros da NATO que Moscovo procura “nova ordem mundial”

“Esta não é uma guerra travada pela Rússia apenas contra a Ucrânia. Esta é uma guerra pelo direito de ditar as condições na Europa e como será a futura ordem mundial”, afirmou Zelenskiy num discurso por videoconferência durante a cimeira da NATO em Madrid.

PM britânico diz que invasão da Ucrânia é exemplo de “masculinidade tóxica” de Putin (com áudio)

Durante a cimeira da NATO em Madrid, marcada pela guerra na Ucrânia, Johnson garantiu que a Rússia não teria iniciado o conflito caso estivesse uma mulher no lugar de Putin à frente do Kremlin. 

Revista de imprensa internacional: as notícias que estão a marcar a atualidade global

Turquia levanta veto à adesão da Finlândia e da Suécia à NATO; Stoltenberg espera que Suécia e Finlândia se tornem membros da NATO rapidamente; Independência da Escócia: 19 de outubro de 2023 proposto como data para novo referendo
Comentários