Casa do Impacto investiu 435 mil euros para escalar dez negócios com missão social e ambiental

A primeira edição do Programa de Investimento para o Impacto +Plus auxiliou as startups GoParity, MyPolis, Manicómio, Mentora Health, Diverge, Music Seeds, Rural Invest, Mad Panda, Maria e Beat the Butt.

DR

A primeira edição do “+Plus”, um programa de investimento da Casa do Impacto da Santa Casa da Misericórdia de Lisboa (SCML) investiu 435 mil euros em dez startups focadas nas áreas da saúde, proteção animal, reinserção social, investimento para a sustentabilidade e ecologia.

GoParity, MyPolis, Manicómio, Mentora Health, Diverge, Music Seeds, Rural Invest, Mad Panda, Maria e Beat the Butt completaram a dezena de empresas de impacto social e ambiental financiadas pela SCML através de duas ferramentas – que dependem da fase do negócio: +Scaling (para startups em fase de early stage) e +Seed (para startups em fase de testing).

“O +Plus é a contribuição da Casa do Impacto e da SCML para o atingir as metas dos Objetivos do Desenvolvimento Sustentável, e ao mesmo tempo para fomentar a discussão, debate e criação de um ecossistema de investimento de impacto, que ainda é muito incipiente, mas já está a mudar”, afirma a diretora da Casa do Impacto.

O investimento será realizado tendo por base os resultados apresentados pelos empreendedores, que serão monitorizados ao longo dos próximos 12 meses (os +Seed) e durante 36 meses (tempo para os +Scaling).

“O mecanismo do pagamento por resultados fez com que as equipas fossem muito ambiciosas nas métricas de avaliação e serão também no atingir dos resultados, o que é muito benéfico para o impacto dos projetos na sociedade e resolução dos desafios propostos. Atingidas as metas, vamos soltando parcelas do investimento”, explica Inês Sequeira.

Houve 135 candidaturas nesta primeira chamada, tendo sido alocada 87% da verba anual, de 500 mil euros.

“O júri foi unânime nos projetos investidos e nas mais-valias que vão trazer à sociedade. No caso dos projetos da ferramenta +Scaling, são muito demonstrativos de que o ecossistema está a dar um grande salto, são projetos que nos últimos dois anos apresentaram uma grande evolução e estão mais maduros e com capacidade de escalar. Alguns até já iniciaram esse processo”, adianta a responsável pela Casa do Impacto.

“Na ferramenta +Seed ficámos muito surpreendidos com a qualidade dos projetos e equipas, o que nos diz que o ecossistema de empreendedorismo de impacto está a cativar perfis diferentes do que era habitual como gestores, economistas e até académicos, um factor muito interessante para o desenvolvimento desta comunidade e projetos”, revela Inês Sequeira, que está com expectativas positivas.

Recomendadas

Casa do Impacto tem mais 500 mil euros para startups

Há novidades nesta terceira edição do +PLUS: a alocação de 50% do orçamento do fundo para soluções de impacto ambiental e outros 50% (250 mil euros) para soluções inovadoras de impacto social.

Desenvolver um projeto ou adquirir competências base de gestão de forma gratuita

Academia de Empreendedorismo é um projeto da plataforma NAU em conjunto com a Universidade NOVA de Lisboa e destina-se a todos os que querem saber mais sobre como lançar um negócio.

Fever cria incubadora para startups de entretenimento ao vivo

O unicórnio espanhol das experiências culturais, gastronómicas e de bem-estar compromete-se a dar auxílio financeiro e ajuda na conceção de experiências, desenvolvimento de conteúdos, análise da procura, interação de formatos e expansão para diferentes cidades.
Comentários