Casaco que Buzz Aldrin usou na lua bate recorde ao ser leiloado por 2,8 milhões

A peça tornou-se o artefacto espacial americano mais valioso já vendido em leilão. Outros itens ​​​​na venda incluíram o plano de voo resumido da Apollo 11, contendo um resumo completo de toda a missão que inclui descrições do pouso do módulo lunar, do moonwalk e da descolagem da lua.

Timothy A. Clary/AFP

O casaco usado por Buzz Aldrin na sua primeira missão à lua em 1969 tornou-se o artefacto espacial americano mais valioso já vendido em leilão, alcançando os 2,77 milhões de dólares (cerca de 2,73 milhões de euros).

Segundo a “BBC”, o artigo foi vendido pela Sotheby’s em Nova York na terça-feira como parte da venda individual mais valiosa de itens de exploração espacial até hoje, totalizando os 8,2 milhões de dólares (8 milhões de euros).

O casaco branco exibe o crachá de Aldrin, agora com 92 anos, no peito esquerdo acima do emblema da missão Apollo 11 e a bandeira americana no ombro esquerdo. É feito de um material resistente ao fogo conhecido como pano beta que foi incorporado em fatos espaciais em resposta ao incêndio que matou três astronautas a bordo da Apollo 1 em 1967, de acordo com a Sotheby’s.

O astronauta descreve a peça, que foi comprada por um licitante anónimo via telefone, como “muito confortável”. Ao todo, Aldrin colocou 69 pertences pessoais para venda.

“O resultado de hoje é um testemunho da carreira lendária de Buzz Aldrin e da sua dedicação vitalícia à exploração e compreensão do universo”, disse a diretora global de ciência e cultura popular da Sotheby’s, Cassandra Hatton. “Foi um privilégio trabalhar ao lado do Buzz para trazer objetos tão prestigiosos ao mercado pela primeira vez, e o resultado recorde de hoje prova o significado contínuo e eterno da missão Apollo 11, cerca de 53 anos desde que o homem pisou na Lua pela primeira vez”.

Aldrin e Neil Armstrong tornaram-se os primeiros astronautas a pisar a lua a 20 de julho de 1969, momento assistido pela televisão por 650 milhões de pessoas a nível global, segundo as estimativas.

O único membro da tripulação ainda vivo passou a maior parte da viagem de seis dias no espaço com o casaco de bordo, trocando-o apenas a meio do caminho para trocar por uma roupa de pressão para pisar na própria superfície lunar.

Outros itens ​​​​na venda incluíram o plano de voo resumido da Apollo 11, contendo um resumo completo de toda a missão que inclui descrições do pouso do módulo lunar, do moonwalk e da descolagem da lua. O livrete de nove páginas foi vendido por  819 mil dólares, mais de cinco vezes mais do que a estimativa pré-venda.

Recomendadas

Pentágono afirma que 80 mil soldados russos foram mortos ou feridos na Ucrânia

Cerca de 80.000 soldados russos foram mortos ou feridos desde o início da invasão da Ucrânia, disse hoje o número três do Pentágono, Colin Kahl, salientando que os alvos anunciados pelo Presidente russo, Vladimir Putin, ainda não foram atingidos.

Lapid diz que Israel “cumpriu todos os objetivos” no ataque à Faixa de Gaza

O primeiro-ministro israelita Yair Lapid afirmou hoje que a Operação Amanhecer contra a Jihad Islâmica em Gaza “cumpriu todos os seus objetivos” e que a totalidade do alto comando militar do grupo “foi atacado com êxito em três dias”.

Brasil/Eleições. Juíza pede à PGR investigação contra Bolsonaro por ataque às urnas eletrónicas

A juíza Rosa Weber, do Supremo Tribunal Federal (STF) do Brasil, enviou esta segunda-feira à Procuradoria-Geral da União (PGR) um pedido de investigação contra o Presidente brasileiro, Jair Bolsonaro, por ter feito ataques ao sistema eleitoral num encontro com embaixadores.
Comentários