Cascais ajuda famílias a combater a inflação com 44 milhões

A autarquia liderada por Carlos Carreiras aprovou por unanimidade um pacote de 70 medidas, entre as quais bolsas para creches, no caso das crianças com 3 a 36 meses, bem como bolsas para estudantes de licenciaturas e mestrados.

A Câmara de Cascais aprovou por unanimidade um pacote de 44 milhões de euros de ajuda às famílias no combate à inflação.

O pacote inclui 70 medidas, destinadas sobretudo aos mais vulneráveis, incluindo famílias até ao 4ª escalão, e traduzem-se em bolsas para creches privadas e para estudantes de licenciaturas e mestrados, apoio no pagamento de rendas de habitação, de lares, de facturas de água (só aqui são 12 milhões), subsídios para quem mantém idosos em casa ou ainda apoio alimentar (distribuição até 100 euros /mês por família).

As áreas da saúde e da eficiência energética/ambiente estão também contempladas, com programas de serviços médicos de proximidade na saúde mental, oral e clínica geral e a criação de “ilhas” urbanas de produção de energia verde.

As rendas da habitação pública não vão aumentar e a Câmara Municipal de Cascais, no distrito de Lisboa, anunciou subsídios a partir de janeiro de 2023 para famílias que queiram arrendar uma habitação no concelho, ao mesmo tempo que está a adaptar o Mosteiro Santa Maria do Mar, em Carcavelos, para residência de estudantes do ensino superior no concelho.

O autarca Carlos Carreiras salienta que este “é um investimento muito forte” mas que mantém o compromisso de continuar com os investimentos muito expressivos que tem vindo a realizar no concelho e, ainda assim, conseguir reduzir a carga fiscal municipal.

Por “razões legais e procedimentais”, nem todas as medidas podem entrar já em vigor, pelo que as “prioritárias são todas as que se prendem com o apoio aos mais vulneráveis (idosos, crianças e deficientes), nomeadamente apoio alimentar, saúde e bolsas sociais”, explicou Carlos Carreiras, adiantando que as restantes medidas entram em vigor com a efetivação do orçamento municipal para 2023.

Os cidadãos podem dirigir-se às quatro juntas de freguesias do concelho de Cascais para conhecerem e pedirem as ajudas a que têm direito e, até ao final do ano, serão abertos outros quatro centros para realizar estes pedidos.

De fora fica, por agora, a política fiscal e o apoio às empresas, que aguardam decisões do Governo e a aprovação do Orçamento Municipal, mas o executivo planeia a redução do IMI, a isenção da derrama nos escalões mais baixos do IRC e o ajuste de taxas municipais.

O concelho de Cascais tem cerca de 214 mil habitantes, de acordo com o Censos 2021, e a Câmara Municipal é liderada pela coligação PSD/CDS, que detém maioria absoluta no executivo, com sete mandatos. A coligação formada pelo PS/PAN/Livre tem três vereadores e o Chega um.

Recomendadas

ISP: “Medida injusta e mesquinha”. Saiba o que dizem os partidos sobre os ajustes do Governo

Os partidos com representação parlamentar demonstram-se contra a posição tomada pelo Executivo de António Costa relativamente ao ISP.

Eutanásia. PSD justifica referendo com “caminho de não retorno” em matéria de “interesse nacional”

O projeto de resolução do PSD de referendo sobre a despenalização da eutanásia, hoje revelado, defende a consulta popular por considerar que está em causa “uma questão de relevante interesse nacional” que implica “um caminho de não retorno”.

JE Podcast: Ouça aqui as notícias mais importantes desta segunda-feira

Da economia à política, das empresas aos mercados, ouça aqui as principais notícias que marcam o dia informativo desta segunda-feira.
Comentários