Casos de legionella em Castelo Branco, Barreiro e Porto têm ligações a Vila Franca de Xira

O diretor geral da Saúde revelou hoje que foram identificados casos de Doença do Legionário em várias regiões do país, como Castelo Branco, Barreiro e Porto, todos eles com “ligações claras” a Vila Franca de Xira. De acordo com Francisco George, estes casos têm todos ligações “temporais e espaciais” a Vila Franca de Xira, região […]

O diretor geral da Saúde revelou hoje que foram identificados casos de Doença do Legionário em várias regiões do país, como Castelo Branco, Barreiro e Porto, todos eles com “ligações claras” a Vila Franca de Xira.

De acordo com Francisco George, estes casos têm todos ligações “temporais e espaciais” a Vila Franca de Xira, região onde foi identificado um surto causado pela bactéria legionella, que provoca pneumonias graves e pode ser mortal.

No início da noite de domingo, Francisco George revelou que o surto de legionella já causou 160 infeções e fez quatro mortes.

Francisco George admitiu à Lusa que, além de Castelo Branco, Barreiro e Porto, existem outras cidades com casos de pessoas com esta doença.

Às 17h00, a Direção Geral da Saúde (DGS) vai atualizar os dados sobre a doença em Portugal, disponibilizando a informação no site deste organismo.

No domingo, Francisco George admitiu que o surto de legionella possa estar “próximo do máximo”, explicando que só uma pequena percentagem das pessoas expostas ficarão doentes.

O ministro da Saúde, também no domingo, anunciou que iriam ser encerradas as “principais torres de refrigeração” de empresas na área afetada pelo surto de legionella, em Vila Franca de Xira, enquanto estão a ser avaliadas casas particulares.

A batéria legionella é responsável pela Doença dos Legionários, uma pneumonia grave, cuja infeção se transmite por via aérea (respiratória), através da inalação de gotículas de água ou por aspiração de água contaminada.

OJE/Lusa

Recomendadas

Respostas Rápidas: como deve investir a pensar na reforma?

Com uma estrutura demográfica cada vez mais envelhecida, as dúvidas em torno da sustentabilidade da Segurança Social no médio-prazo reforçam o papel da poupança privada no rendimento dos portugueses em reforma, pelo que importa compreender os vários instrumentos financeiros ao seu dispor.

Respostas rápidas: é assim que pode ir para a reforma antes dos 66 anos e sete meses

Não tem 66 anos e sete meses, mas quer ir para a reforma? Há vários regimes que permitem a antecipação da pensão de velhice. O Jornal Económico explica, com base num guia do ComparaJá.

Preço médio das casas do Canadá vai custar perto de 500 mil euros até ao fim de 2023

Aumento das taxas de juro acima do previsto pelo Banco do Canadá estão a fazer com que os custos com a habitação consumam 60% das finanças das famílias, o valor mais elevado desde 1990.