Catalunha: Esquerda republicana lidera sondagens a um dia das eleições

As últimas sondagens dão vitória aos independentistas da esquerda republicana (ERC), mas sem conseguir a maioria necessária para assegurar a governação da região.

Falta apenas um dia para a Catalunha realizar aquele que é considerado um dos escrutínios eleitorais mais importantes para o país desde o fim da ditadura franquista. As últimas sondagens dão vitória aos independentistas da esquerda republicana (ERC), mas sem conseguir a maioria necessária para assegurar a governação da região.

Desde a passada sexta-feira que as sondagens em Espanha estão proibidas, mas o jornal espanhol ‘El Periódic’ tem ignorado os avisos e continua a publicar diariamente os resultados das pesquisas às intenções de voto. As últimas sondagens apontam para uma ligeira vantagem da esquerda republicana, liderada pelo antigo vice-presidente catalão, Oriol Junqueras, que se encontra na prisão. As projeções antevêem que a ERC, que defende a independência da região, consiga eleger entre 36 a 37 deputados.

Logo a seguir nas sondagens aparecem os liberais centristas do Ciudadanos-Ciutadans, que se opõem ao processo de independência da Catalunha e defendem a sua permanência em Espanha. As sondagens mostram que o partido liderado pela advogada Inès Arrimadas consegue eleger entre 31 a 32 deputados para o Parlamento catalão.

Em terceiro lugar nas sondagens está o partido independentista de Carles Puigdemont, ex-presidente do Governo regional da Catalunha, que se encontra ainda na Bélgica. As sondagens indicam que o partido ‘Juntos pela Catalunha’ (JxCat) vai conseguir nomear entre 26 a 27 deputados.

Segue-se o Partido dos Socialistas da Catalunha (PSC), liderado por Miguel Iceta e ligado ao PSOE espanhol, que defende a ideologia unionista. O partido elege entre 20 a 21 deputados para o Parlamento, segundo as últimas sondagens. O partido Catalunha em Comum (CeC), da esquerda populista, conquista entre 10 a 11 lugares no Parlamento e a Candidatura da Unidade Popular (CUP), de extrema-esquerda, elege entre 5 a 6 deputados.

Já o Partido Popular do chefe do Executivo espanhol, Mariano Rajoy, é o partido com menos intenções de voto, de acordo com a sondagem, conquistando apenas entre 4 a 5 deputados.

Para as eleições autonómicas convocadas pelo Governo espanhol na Catalunha são chamados a votar cerca de 5,2 milhões eleitores, sendo estimada uma participação a rondar os 80%. As eleições foram convocadas em outubro, depois de Madrid ter dissolvido o Parlamento da Catalunha e destituir o Executivo regional presidido por Carles Puigdemont.

Relacionadas

DBRS prevê que incerteza na Catalunha continue depois das eleições

A agência de notação de crédito não espera uma declaração unilateral de independência depois da ida às urnas, mas diz que a crise institucional pode pesar cada vez mais na economia catalã.

Catalunha: semana decisiva arranca com incerteza a dominar

A poucos dias do ato eleitoral, e numa altura em que as sondagens estão proibidas por lei, a incerteza é a única certeza. Tanto em relação a quem vence como a qual dos blocos será maioritário.

Puigdemont admite voltar se for “respeitado resultado” das eleições regionais

O número um da candidatura do Junts per Catalunya (JxCat), Carles Puigdemont, disse que deverá voltar à Catalunha se “for respeitado o resultado” das eleições de quinta-feira, e os eleitores recusarem o artigo 155.º da Constituição.

‘Adiós, Cataluña’. Mais de 3 mil empresas saíram da Catalunha depois do referendo

Estas saídas tiveram um impacto de 11.540 milhões de euros na economia catalã, segundo a imprensa espanhola.
Recomendadas

Irão: ‘Polícia da moralidade’ poderá ser substituída por “novas tecnologias”

O Centro de Promoção da Virtude e Proibição do Vício do Irão afirmou hoje “que a missão da polícia da moralidade terminou”, mas sublinhou que estão a ser estudadas novas tecnologias para controlar o vestuário das mulheres.

Ucrânia: Operadora de eletricidade anuncia cortes de emergência em todo o país

A operadora de eletricidade ucraniana Ukrenergo avisou hoje que vai ser preciso realizar cortes de energia de emergência em toda a Ucrânia, devido aos mais recentes ataques russos.

Mike Pence rejeita comentários de Trump contra a Constituição dos EUA

O ex-vice-presidente norte-americano Mike Pence rejeitou hoje as afirmações de Donald Trump de que deveria “acabar-se” com a Constituição do país para que pudesse ser reintegrado na Presidência.
Comentários