PremiumCatarina Martins alcança Costa no topo dos líderes partidários

Ex-parceiros de “geringonça” concentram as melhores avaliações dos portugueses em dezembro, Rui Rio é o líder que recebe a nota mais baixa dos seus próprios eleitores e André Ventura ganha peso tanto no PSD como entre os outros partidos.

A coordenadora do Bloco de Esquerda, Catarina Martins, passou a estar empatada com o secretário-geral do PS, António Costa, no topo das avaliações dos portugueses aos líderes dos partidos com representação parlamentar e aos deputados únicos, realizada no início de dezembro pela Aximage para o Jornal Económico. Ambos melhoraram em relação a novembro, mas a bloquista teve uma subida maior, passando de uma nota de 10,2 para 11,7, enquanto o primeiro-ministro subiu de 11,4 para 11,7 numa escala de 0 a 20.

O domínio dos ex-parceiros de “geringonça” em relação aos restantes líderes também se confirma com a grande subida do secretário-geral do PCP, Jerónimo de Sousa, que passou de 9,7 para 11,3, bastante à frente do seu parceiro de coligação José Luís Ferreira, líder do grupo parlamentar do Partido Ecologista “Os Verdes” (PEV), que surge pela primeira vez no estudo de opinião realizado pela Aximage com nota positiva (10,1).

Conteúdo reservado a assinantes. Para ler a versão completa, aceda aqui ao JE Leitor

Recomendadas

PremiumMemórias pessoais e transmissíveis

Mas os diários da minha tia Gália eram de um tipo muito específico: à medida que os lia, a sua textura peculiar — que se assemelhava sobretudo a uma rede de pesca de malha grande — tornava‑se cada vez mais enigmática e interessante.

PremiumGeorge Clooney e o Speedmaster ’57

Coincidindo com o 65º aniversário da linha Speedmaster, a coleção completa Omega Speedmaster ’57 inclui agora oito novos modelos.

PremiumBiografia de Lula Inácio da Silva

Para lá das emoções que provoca, positivas ou negativas, Lula da Silva está entre as maiores figuras políticas da história do Brasil. Oriundo da classe operária, opositor ativo e convicto de uma ditadura militar que sufocou a sociedade e a economia brasileiras entre 1964 e 1985, a sua história e as suas lutas confundem-se com as de um povo que, por duas vezes, o elegeu presidente da nação.
Comentários