Católica Global School of Law inova com programa “tailor-made” para advogados

O Diretor da escola, Luís Barreto Xavier, explica ao OJE as mais valias deste programa avançado especificamente desenhado para advogados, cujo grande foco são as “soft skills”. A formação à medida está a crescer em Portugal. Mas desta vez é diferente, pois o programa não foi desenhado numa “business school”, mas sim numa faculdade de […]


Notice: Undefined offset: 1 in /var/www/vhosts/jornaleconomico.pt/httpdocs/wp-includes/media.php on line 1031

Notice: Undefined offset: 2 in /var/www/vhosts/jornaleconomico.pt/httpdocs/wp-includes/media.php on line 1031

Notice: Undefined offset: 1 in /var/www/vhosts/jornaleconomico.pt/httpdocs/wp-includes/media.php on line 1031

Notice: Undefined offset: 2 in /var/www/vhosts/jornaleconomico.pt/httpdocs/wp-includes/media.php on line 1031

O Diretor da escola, Luís Barreto Xavier, explica ao OJE as mais valias deste programa avançado especificamente desenhado para advogados, cujo grande foco são as “soft skills”.

A formação à medida está a crescer em Portugal. Mas desta vez é diferente, pois o programa não foi desenhado numa “business school”, mas sim numa faculdade de Direito prestigiada. “Sentimos que havia essa necessidade e resolvemos auscultar o mercado.

As respostas foram unânimes: todas as sociedades de advogados e empresas com as quais falámos nos disseram que a oferta disponível não respondia inteiramente às suas necessidades”, diz ao OJE o Diretor da Católica Global School of Law, Luís Barreto Xavier, ao explicar as razões que levam a escola a lançar uma formação de executivos neste  formato.

“Os programas para executivos disponíveis, sobretudo na área das soft skills, não são especificamente direcionados para o mercado jurídico, pormenor que faz toda a diferença”, acrescenta.

A Católica Global School of Law assenta o seu programa numa dúzia de módulos com foco nas “soft skills”, mas os clientes, fundamentalmente as sociedades de advogados, alvo preferencial, têm liberdade de escolha. “Flexibilidade é a palavra-chave, tendo em conta o caráter “tailor made” da formação proposta”, sublinha Luís Barreto Xavier.

O programa  inclui módulos tão díspares quanto negociação para advogados, “public speaking”, inglês jurídico, “media training”, poder e influência, gestão de equipas, contabilidade, “law firm management”, contabilidade e finanças para juristas, entre outros. A duração depende em absoluto da escolha do cliente,  que pode decidir o tipo de módulos, a sua quantidade e mesmo acordar connosco a sua duração e público alvo.

“Os conteúdos podem variar se oferecermos um módulo de Negociação para Advogados, por exemplo, para jovens associados ou para associados sénior e sócios”, explica o professor.

Luís Barreto Xavier considera que o aspeto central da oferta é a qualidade dos formadores aos quais a escola recorre: “Todos são especialistas de renome. Portugueses e estrangeiros, com um excelente “track record” na academia e/ou no mundo profissional”. Além da “casa”, os professores vêm do King´s College, da University of Houston e do ESADE.

O Diretor da Católica Global School of Law salienta que a escola já organizou um grande programa de formação às medida das necessidades de uma grande empresa presente num país de expressão portuguesa. Nesse caso, a formação abrangeu diversas áreas jurídicas e de soft skills. “Também temos realizado formações para organizações em países africanos, com foco em áreas jurídicas especializadas, como a da contratação pública ou a fiscalidade”, acrescenta, admitindo a possibilidade desta iniciativa poder também ser adaptada para mercados de expressão portuguesa.

Almerinda Romeira/OJE

Recomendadas

PRR, mesmo sem inflação, sofreria dos mesmos problemas

Execução da bazuca enfrentaria dificuldades com burocracia e mudanças na economia global, reforçando papel dos contabilistas.

Cabo Verde quer reforçar combate à pobreza com aumento de 25% da taxa turística

Governo liderado por Ulisses Correia e Silva prevê arrecadar 8,6 milhões de euros com o aumento da taxa, que serão canalizados para o fundo de financiamento Programa Mais, Mobilização pela Aceleração da Inclusão Social, concebido para apoiar projetos de combate à pobreza extrema e exclusão social, segundo a Forbes África Lusófona.

Receitas do turismo estão 14% acima das do pré-pandemia

Os resultados até agora obtidos são animadores, contudo a crescente subida dos preços traz alguma apreensão