Católica-Lisbon ensina os segredos das empresas familiares em disciplina comum aos quatro cursos

Mastering Family Businesses é uma cadeira optativa, transversal aos quatro programas de licenciatura dedicada à gestão dos negócios familiares.

As empresas familiares são, na maior parte dos casos, a força de um país. Em Portugal representam cerca de 75% do tecido empresarial. Todavia, a informaçao é sempre passada de forma informal e se e quando algo não corre bem, o segredo do avô pode perder-se. Aí entra a nova disciplina da Católica Lisbon School of Business & Economics, que permite aos alunos compreender o fundamental sobre este ambiente empresarial.

“Mastering Family Businesses vem realçar a importância dos negócios familiares no tecido empresarial português, formando os jovens alunos, que serão os gestores de amanhã, para as características específicas da gestão de negócios familiares”, explica Liliana Dinis, responsável pela disciplina ao JE Universidades.

A disciplina semestral, com três horas de carga semanal, é oferecida durante os dois semestres anuais. Faz parte do portfólio de disciplinas optativas nos programas de licenciatura da CATÓLICA-LISBON por hábito lecionadas no último ano. “Os programas estão desenhados de forma a permitir aos alunos no seu 3.º ano de licenciatura obterem o máximo de experiência em assuntos empresariais e económicos, tendo em atenção as necessidades do mercado empresarial”, justifica Liliana Dinis.

As aulas são essencialmente práticas, com a apresentação de casos de empresas portuguesas como Vista Alegre, CUF, Delta, Sogrape ou grandes conglomerados caso da Hermés, Henkel, Ford, El Corte Inglés e Zara. Um painel de convidados de renome é chamado a prestar testemunho sobre a realidade e os desafios das empresas familiares. Rui Miguel Nabeiro, CEO do Grupo Nabeiro-Delta Cafés, Alexandre Dias da Cunha, consultor na Cambridge Advisory Group e Lídia Tarré, administradora da Gelpeixe figuram entre eles.

A realidade portuguesa das empresas familiares estende-se ao resto da Europa, onde se verificam proporções desde 65% no Reino Unido a 85% na Espanha, Áustria e Finlândia, mas também ao outro lado do Atlântico, onde 37% do “Fortune 500” são empresas familiares. “O que torna este tipo de organização muito especial e diferente das restantes — explica Liliana Dinis— são características como o vínculo emocional criado entre a família e a comunidade local que se estende ao longo de décadas e gerações. Compreender este vínculo é conseguir uma ferramenta poderosa e distinta, impossível de reproduzir, que confere à organização um recurso raro e inimitável, contribuindo assim para uma vantagem competitiva face aos seus concorrentes”.

No esforço de atualização e de abordagem de temas relevantes, a CATÓLICA-LISBON introduziu, nos últimos anos, várias disciplinas que permitem a obtenção de skills diferenciadores e aumentar a sua diferenciação do aluno quando este chega ao mercado de trabalho. Disciplinas de Applied Data Science ou Artificial Intelligence refletem o esforço em dotar os alunos de skills analíticos atuais, enquanto disciplinas relacionadas com Responsabilidade Social ou Sustentabilidade refletem o esforço de abordar temas da maior importância empresarial nos tempos atuais.

Recomendadas

Três praias de Oeiras interditadas a banhos

As praias de Caxias, Santo Amaro de Oeiras e Paço de Arcos foram interditadas a banhos, desde sexta-feira, depois das análises à qualidade da água revelarem valores microbiológicos acima dos parâmetros de referência, revelou hoje a Autoridade Marítima Nacional.

António Almeida-Dias: “Ao contrário do ensino superior estatal, não pedimos dinheiro ao Governo”

Presidente da APESP defende que Portugal tem muito a ganhar com um ensino superior privado que usufrua da autonomia e liberdade consagradas na Constituição e que o Estado limita. O setor privado da economia já demonstrou ser o motor da inovação e do progresso, diz.

IPLeiria constrói cinco residências e renova sete num investimento de 25 milhões do PRR

Com este investimento, o Politécnico vai assegurar residências de estudantes em todas as cidades onde conta com oferta formativa, nomeadamente em Leiria, Caldas da Rainha, Peniche, Marinha Grande, Pombal e Torres Vedras.
Comentários