Cavaco encarrega Passos para avaliar “solução governativa”

O Presidente da República dirigiu-se ao País e revelou que convidou o líder da Coligação Portugal à Frente e do Partido Social Democrata para avaliar uma “solução governativa consistente” que garanta um “Governo estável e duradouro”. “Encarreguei Pedro Passos Coelho de desenvolver diligências com vista a avaliar as possibilidades de constituir uma solução governativa que […]

O Presidente da República dirigiu-se ao País e revelou que convidou o líder da Coligação Portugal à Frente e do Partido Social Democrata para avaliar uma “solução governativa consistente” que garanta um “Governo estável e duradouro”.

“Encarreguei Pedro Passos Coelho de desenvolver diligências com vista a avaliar as possibilidades de constituir uma solução governativa que assegure a estabilidade política e a governabilidade do país”, realçou Cavaco Silva numa curta declaração.

Para o Presidente da República, o “Governo a empossar deverá dar aos portugueses garantias firmes de que respeitará os compromissos internacionais historicamente assumidos”.

“Este é o tempo do compromisso”, reforçou o Presidente da República. Cavaco voltou a salientar que não cabe ao chefe de Estado promover entendimentos e que devem ser os partidos a dialogar no sentido de estabelecer uma solução de Governo.

“Portugal necessita, neste momento da nossa história, de um governo com solidez e estabilidade. Este é o tempo do compromisso. O país tem à sua frente um novo ciclo político, em que a cultura do diálogo e da negociação deve estar sempre presente”, afirmou o chefe de Estado.

A intervenção de Cavaco Silva, que pela primeira vez se manifestou relativamente ao resultado das eleições legislativas que reelegeram PSD e CDS-PP, decorreu uma hora depois de terminar a reunião do chefe de Estado com Pedro Passos Coelho.

OJE

Recomendadas

Empresa espanhola de armamento recebeu carta semelhante à que explodiu na embaixada da Ucrânia

Uma empresa espanhola de armamento recebeu um envelope similar ao que foi enviado para a embaixada da Ucrânia em Madrid e que explodiu.

Atualização do IAS aumenta valor máximo do subsídio de desemprego em 93 euros

O valor máximo do subsídio de desemprego vai subir mais do que o previsto avançando 93 euros, para 1.201,08 euros, refletindo o aumento de 8,4% do Indexante de Apoios Sociais (IAS) em 2023.

Afinal, pensões mais baixas vão subir 4,83% em janeiro

Pensões até 961 euros vão ter aumento de 4,83%, pensões entre 961 euros e 2.883 euros vão subir 4,49% e pensões acima de 2.883 euros vão crescer 3,89%. Correção das atualização vai custar 110 milhões de euros, aos quais se somam os 1.155 milhões de euros já previstos.