CDS-PP avança que cenário macroeconómico do OE 2020 é “condizente” com esboço apresentado a Bruxelas

Os democratas-cristãos mostraram “ceticismo” em relação ao linhas gerais apresentadas pelo Governo e definiram o desagravamento da carga fiscal, investimento da saúde e fim das injeções de capital do Fundo de Resolução como prioridades.

Mário Cruz/Lusa

O CDS-PP adiantou esta terça-feira que o cenário macroeconómico da proposta do Orçamento do Estado para 2020 (OE 2020) é “condizente” com esboço apresentado a Bruxelas. Os democratas-cristãos mostraram “ceticismo” em relação ao linhas gerais apresentadas pelo Governo e definiram o desagravamento da carga fiscal, investimento da saúde e fim das injeções de capital do Fundo de Resolução como prioridades.

“Aquilo que nos foi transmitido é que este cenário é condizente com o cenário que já anteriormente nos tinha sido apresentado e que foi reportado a Bruxelas”, afirmou a líder parlamentar do CDS-PP, Cecília Meireles, após conhecer as linhas gerais da proposta do OE 2020, apresentadas pelo ministro das Finanças, Mário Centeno, e o secretário de Estado para os Assuntos Parlamentares, Duarte Cordeiro.

Quer isso dizer que a proposta de OE 2020 que o Governo deve dar entrada na Assembleia da República na próxima segunda-feira, dia 16, não deve ficar longe do esboço orçamental enviado pelo Governo à Comissão Europeia. O esboço previa um défice de 0,1% este ano e défice zero em 2020 e um crescimento da economia portuguesa para 2% no próximo ano, mantendo-se o Produto Interno Bruto (PIB) deste ano nos 1,9%.

Cecília Meireles disse ainda que transmitiu ao Governo a preocupação do CDS-PP com o desagravamento da carga fiscal, que de acordo com o partido deve ser uma prioridade a incluir no próximo OE.

“Para nós, era muito importante que pudesse haver um desagravamento da carga fiscal, designadamente para a classe média. Não obtivemos essa garantia nesta reunião. A nossa preocupação entre o equilíbrio que é preciso fazer, com responsabilidade, nas contas públicas e no funcionamento dos serviços públicos”, referiu Cecília Meireles.

Também a Saúde mereceu a atenção do partido nesta reunião, bem como o fim das injeções de capital do Fundo de Resolução. Cecília Meireles sublinha que “é preciso limpar os erros cometidos no passado no sistema bancário” e que essa é uma preocupação do CDS-PP “quer do ponto de vista da justiça, quer sobretudo do que isso ainda pesa no bolso dos portugueses”.

“Contas públicas equilibradas é um desígnio nacional. O CDS nunca o pôs em causa, antes pelo contrário. Fez até parte de um Governo que fez o maior esforço acompanhados dos portugueses nesse sentido”, reiterou.

Relacionadas

OE2020: “Falta de convergência resulta exclusivamente das posições do Governo”, diz PCP

Os comunistas dizem que aprovaram o documento na generalidade se “haver algum conteúdo concreto que justifique esse voto a favor”, mas notam que persistem divergências em relação à utilização dos meios orçamentais.

BE diz que linhas gerais do OE 2020 ficam “aquém das necessidades do país”

A delegação bloquista que esteve reunida com o Governo diz que não chegou a qualquer consenso com o Governo e que a continuidade da reposição de rendimentos, a garantia de direitos e a diminuição dos impostos sobre bens de primeira necessidade devem ser prioridades.

OE 2020: PSD diz que reunião com Governo foi “muito curta” e prefere aguardar por “medidas concretas”

À saída da reunião com o Governo, a delegação social-democrata afirmou que a reunião foi “muito curta” e que o partido vai aguardar por “medidas mais concretas” para poder avaliar o documento e tomar uma decisão sobre o sentido de voto.

OE2020: Centeno apresenta aos partidos parlamentares linhas gerais da proposta do Governo

O ministro de Estado e das Finanças, Mário Centeno, apresenta hoje, na Assembleia da República, as linhas gerais da proposta do Governo de Orçamento do Estado para 2020 aos partidos com representação parlamentar.
Recomendadas

Eutanásia: Marcelo afirma que decidirá “rapidamente” e aponta para alturas do Natal

O Presidente da República garantiu hoje que decidirá rapidamente sobre a lei da despenalização da morte medicamente assistida, que deverá ser aprovada sexta-feira no parlamento, quando receber o documento, apontando a altura do Natal como data provável.

Lisboa aprova orçamento municipal para 2023 com abstenção de PS, IL e PAN

A Assembleia Municipal de Lisboa aprovou a proposta de orçamento para 2023, com votos a favor de PSD, CDS-PP, MPT, PPM e Aliança, a abstenção de PS, PAN e IL e os votos contra dos restantes deputados.

Governo anuncia Fórum Social do Porto em maio

O secretário de Estado dos Assuntos Europeus anunciou a realização em maio de 2023 do Fórum Social do Porto, para fazer o seguimento da Cimeira Social realizada durante a presidência portuguesa da União Europeia.
Comentários