CDS: “Primeiro-ministro fala muito, mas faz muito pouco daquilo que diz”

O líder da bancada parlamentar centrista, Pedro Mota Soares, defende que o Executivo socialista é responsável pela “maior carga fiscal de sempre” e que é o “campeão das cativações que estão a afetar os serviços públicos”.

O CDS-PP acusou esta quarta-feira o Governo de António Costa de fazer muitas promessas aos portugueses mas não cumprir com a palavra dada. O líder da bancada parlamentar centrista, Pedro Mota Soares, defende que o Executivo socialista é responsável pela “maior carga fiscal de sempre” e que é o “campeão das cativações que estão a afetar os serviços públicos”.

“Temos um primeiro-ministro que fala da demografia, do interior de Portugal, das empresas, dos serviços públicos e do Sistema Nacional de Saúde (SNS), mas que, ao mesmo tempo, chumbou as proposta do CDS para apoiar as famílias e para baixar os impostos sobre o trabalho de quem está no interior do país e chumbou a proposta do CDS para baixar os impostos às empresas que criam emprego e riqueza”, afirmou Pedro Mota Soares, aos jornalistas.

O líder parlamentar do CDS diz ainda que o Governo tem feito os portugueses pagarem demasiados impostos, tendo em conta a qualidade de serviços públicos, como é o caso do setor da saúde e dos transportes. “[Este Governo] é o campeão das cativações que estão a afetar tanto os serviços públicos. Fez as maiores cativações e apresentou os piores serviços públicos, quer nos transportes, na saúde, até na segurança dos portugueses”, reiterou.

O CDS acusou ainda o Governo de ser o “responsável pela maior carga fiscal de sempre, a começar pela gasolina e pelo gasóleo” e garantiu que o partido é “a única alternativa” ao Governo do PS.

Recomendadas

Incompatibilidades de ministros devem cessar logo que há perceção, avisa Marcelo

O Presidente da República considerou hoje, questionado sobre o caso do ministro da Saúde, Manuel Pizarro, que as incompatibilidades com o exercício de cargos governativos devem cessar logo que há a perceção da sua existência.

OE2023: PAN critica “rumo de desvalorização salarial” da função pública

A porta-voz do PAN criticou hoje a proposta de aumentos salariais para a função pública, apontando um “rumo de desvalorização salarial” e alertando que os funcionários públicos “viverão com menos recursos” no próximo ano.

Marcelo assume contacto a José Ornelas para lhe dizer que envio de denúncia “não foi pessoal”

O Presidente da República assumiu hoje que teve a iniciativa de contactar o bispo José Ornelas para lhe dizer que “não foi pessoal” a denúncia contra ele que encaminhou para o Ministério Público.
Comentários