Celsius congela levantamentos e provoca queda de criptomoedas

A decisão da Celsius penalizou as principais moedas, com o bitcoin a atingir mínimos de 18 meses de 23.476 dólares, e com a ethereum, a segunda maior criptomoeda a cair para 1.177 dólares, o valor mais baixo desde janeiro de 2021.

A empresa norte-americana de empréstimo de criptomoedas Celsius Network congelou, esta segunda-feira, levantamentos e transferências, citando condições “extremas”, o que prova que a turbulência do mercado financeiro está a causar problemas na criptoesfera.

A Celsius oferece produtos com juros para clientes que depositam criptomoedas na sua plataforma e, em seguida, empresta criptomoedas para obter um retorno.

A empresa disse, numa mensagem aos seus utilizadores, que congelou levantamentos, bem como transferências entre contas, “para estabilizar a liquidez e as operações enquanto tomamos medidas para preservar e proteger os ativos”.

“Estamos tomando esta ação hoje para colocar a Celsius numa posição melhor para honrar, ao longo do tempo, as suas obrigações”, disse a empresa com sede em Nova Jersey.

A decisão da Celsius penalizou as principais moedas, com o bitcoin a atingir mínimos de 18 meses de 23.476 dólares, e com a ethereum, a segunda maior criptomoeda a cair para 1.177 dólares, o valor mais baixo desde janeiro de 2021.

A 17 de maio, a Celsius Network tinha 11,8 mil milhões de dólares em ativos, indicava o site, uma queda de mais de metade em relação a outubro, e tinha processado um total de 8,2 mil milhões em empréstimos.

O CEO da Celsius, Alex Mashinsky, deu conta de que em outubro do ano passado a empresa tinha mais de 25 mil milhões em ativos.

O credor Nexo revelou ter oferecido ajuda à Celsius, com uma oferta de compra de ativos, mas que a proposta tinha sido recusada.

Recomendadas

Wall Street fecha misto depois de um dia pouco definido

A maioria das ações dos principais índices dos Estados Unidos mantiveram-se indefinidos entre o verde e o vermelho. O histórico do primeiro semestre, que fecha esta quinta-feira, será dos piores em décadas.

EDP, NOS, Galp, CTT e BCP arrastam Lisboa para perdas. Europa em queda

“O corte das estimativas de crescimento económico para 2022 de 4% para 2,5%, por parte do governo francês e a revelação de que a inflação em Espanha, a quarta maior economia da zona euro, terá atingido um novo recorde em junho foram fatores adicionais de pressão para o mercado europeu”, refere o analista do BCP.

BlackRock defende que transição da economia para “zero emissões” implicará uma redistribuição massiva de ativos nas carteiras

A BlackRock considera que os preços de mercado ainda não refletem plenamente os riscos e as oportunidades da transição, acreditando que as empresas que estão mais preparadas para a transição e mais capazes de aproveitar as suas oportunidades devem continuar a beneficiar em relação às outras ao longo do tempo.
Comentários