Centenas de bombeiros de toda a UE ajudam a combater incêndios em França

Os bombeiros alemães e os respetivos veículos chegaram nas primeiras horas desta manhã para ajudar a enfrentar o enorme incêndio entre Gironda e Landes, a sul de Bordéus, que se reacendeu esta semana. 

Centenas de bombeiros de vários países da União Europeia (UE) foram mobilizados para território francês ajudar a combater os fortes incêndios que assolam o país há vários dias, naquela que já é uma demonstração de solidariedade internacional sem precedentes, segundo o “The Guardian”.

A maioria encontra-se ao longo de uma frente de fogo ativa de 40 quilómetros (26 milhas) no sudoeste de França, onde um incêndio descrito como “monstruoso” continuou a devastar florestas de pinheiros.

Os bombeiros alemães e os respetivos veículos chegaram nas primeiras horas desta manhã para ajudar a enfrentar o enorme incêndio entre Gironda e Landes, a sul de Bordéus, que se reacendeu esta semana.

Foram destacados bombeiros romenos, bem como equipas da Polónia, Áustria, Grécia e Itália para ajudar mais de 1.100 bombeiros franceses a tentar conter o fogo.

“Os nossos parceiros estão a vir em auxílio da França contra os incêndios. Obrigado. A solidariedade europeia está em ação”, escreveu Emmanuel Macron no Twitter, fazendo referência aos mais de 360 bombeiros que chegaram com veículos e aviões.

França depara-se com os incêndios florestais mais graves em vários anos, num verão marcado por temperaturas muito elevadas e seca.

Um bombeiro no local descreveu o incêndio de Landiras como “um monstro adormecido que pode acordar com qualquer rajada de vento”.

O incêndio já tinha destruído 14 mil hectares em julho – o mês mais seco em França desde 1961 – antes de ser apagado; contudo, nunca se tinha extinguido completamente.

O incêndio, que se reacendeu na terça-feira, terá sido causado por fogo posto, tendo já queimado 7.400 hectares e destruído 17 casas.

Recomendadas

Bulgária: eleições longe de resolverem crise política

Acusado de corrupção, o GERB voltou a ganhar as eleições e arrisca manter o país ingovernável. A única forma de ultrapassar o impasse seria um governo de coligação entre os dois maiores partidos, mas isso não parece estar no horizonte.

Indonésia. Polícia sob pressão pelo uso indiscriminado de gás lacrimogéneo

Os desacatos num estádio de futebol resultaram em 125 mortos, 17 dos quais crianças, de acordo com as autoridades. A atuação da polícia gerou o caos e vai contra as indicações da FIFA.

JE Podcast: Ouça aqui as notícias mais importantes desta segunda-feira

Da economia à política, das empresas aos mercados, ouça aqui as principais notícias que marcam o dia informativo desta segunda-feira.
Comentários