Centeno com porta aberta para continuar a liderar Eurogrupo mais dois anos e meio

O ministro irlandês das Finanças, Paschal Donohoe, disse que “apoiaria” um segundo mandato de Mário Centeno, que para recandidatar-se à liderança do Eurogrupo teria de se manter na frente da pasta das Finanças em Portugal.

Flickr/MATT WRITTLE

Enquanto o Orçamento do Estado para 2020 começa a ser negociado e o PSD aponta incertezas no futuro do Ministério das Finanças, o semanário “Expresso” avança este sábado que o ministro das Finanças, Mário Centeno, já terá apoios para continuar na presidência do Eurogrupo por mais dois anos e meio.

O ministro irlandês das Finanças, Paschal Donohoe, será um desses apoios. Ao jornal do grupo Impresa, Donohoe disse que “apoiaria” um segundo mandato de Mário Centeno, que para recandidatar-se à liderança do Eurogrupo teria de se manter na frente da pasta das Finanças em Portugal.

“Se Centeno avançar, isso pode dissuadir outros candidatos, mas não é de descartar que outros nomes se apresentem. Daí a importância da declaração do ministro irlandês: ele é um dos ministros de que se fala, vindo da família política de centro-direita”, lê-se no semanário.

Atualmente, Centeno estará a preparar o Orçmento do Estado para 2020, documento que deverá ser entregue no Parlamento dia 16 de dezembro.

PremiumPSD Madeira, PAN e Livre são ‘plano B’ para aprovar Orçamento

Recomendadas

Raimundo reafirma PCP como partido dos trabalhadores e de protesto que não está parado no tempo

Paulo Raimundo falava no final de um almoço/comício da campanha “Faz das injustiças força para lutar! – mais salários e pensões, saúde e habitação”, que reuniu cerca de 300 pessoas no Centro Recreativo e Cultural do Boquilobo, no concelho de Torres Novas, no distrito de Santarém.

Extrema-direita espanhola na rua contra fim de crime de sedição que condenou independentistas

O parlamento espanhol aprovou na quinta-feira, numa primeira votação, uma proposta dos partidos no governo em Espanha (socialistas e extrema-esquerda da Unidas Podemos) de revisão do Código Penal que suprime o delito de sedição, que levou à prisão independentistas catalães.

Carlos Moedas serve mais um jantar à direita ibérica na Câmara

Carlos Moedas recebeu os “jotas” do PSD e do PP espanhol para um jantar servido na sala de arquivo da CML. Os custos foram assumidos pela autarquia, apurou o semanário Novo.
Comentários