PremiumCenteno continuará a ser o ministro das Finanças?

É uma das maiores incógnitas da política nacional, com impacto noutros quadrantes.

É uma das maiores incógnitas da política nacional, com impacto noutros quadrantes. Há um ano Mário Centeno consolidava a posição como o ministro das Finanças que conduziu o país ao reequilíbrio das contas públicas numa dupla aparentemente coesa com António Costa.

O brilharete orçamental valheu-lhe o reconhecimento dos pares europeus e dos fóruns internacionais, mas não foi preciso esperar pela campanha para as legislativas, que desembocou numa vitória do PS, para ganhar força a possibilidade de Centeno vir a levantar voo. Com um nome bem aceite em Bruxelas, logo em abril surgiram os primeiros rumores de que o ministro das Finanças poderia ser indicado para comissário europeu, mas a escolha do primeiro-ministro para a equipa de Ursula Von Der Leyen acabou por recair em Pedro Marques e Elisa Ferreira.

Enquanto se somavam sinais de que o ministro mais popular estaria pouco disponível para integrar o novo governo, em agosto a transferência de Christine Lagarde para Frankfurt deixou vaga a presidência do Fundo Monetário Internacional e Portugal chegou a colocar Centeno na corrida. No entanto, o xadrez político que guia as instituições internacionais levou-o a retirar a candidatura – enquanto António Costa continuou a contar com o seu trunfo eleitoral.

No novo elenco governativo manteve o posto e apresentou o Orçamento do Estado para 2020, cujas metas orçamentais (a concretizarem-se) o colocam na história como o ministro que pela primeira vez em democracia alcançou um excedente orçamental. Por decidir continua uma nova candidatura à presidência do Eurogrupo, que termina em julho, data que também põe fim ao mandato de Carlos Costa à frente do Banco de Portugal, cargo para o qual o nome de Centeno continua a ser uma possibilidade.

Conteúdo reservado a assinantes. Para ler a versão completa, aceda aqui ao JE Leitor

Relacionadas

Marcelo Rebelo de Sousa considera que Mário Centeno “tem sido vital”

Para o Presidente da Republica, é vital dar o subsídio de risco às forças de segurança e atender às suas necessidades antes da manifestação a 21 de janeiro. Mas vital mesmo é prolongar Centeno.

Mário Centeno admite que trabalho Eurogrupo “está feito” e pisca olho ao Banco de Portugal

O Ministro das Finanças admite não ver qualquer incompatibilidade se passar para Governador do Banco de Portugal. No entanto, nega a possibilidade de o próprio suceder a Carlos Costa.

Mário Centeno ‘fight club’

O ministro das Finanças entrou na conferência para apresentar a proposta de Orçamento do Estado de 2020, em modo de combate.
Recomendadas

PremiumGoverno atualiza escalões de IRS em 5,1% e dá bónus no IRC

Com o Orçamento do Estado à porta, o Governo foi à Concertação Social propor uma atualização de 5,1% dos escalões do IRS e uma majoração no IRC, a par dos aumentos salariais.

Academia de Crédito. Twinkloo apresenta projeto sobre literacia financeira

A Academia de Crédito disponibilizada informações úteis, dicas e análises para ajudar os cidadãos a compreender melhor alguns dos principais temas da atualidade, entre os quais a subida das taxas de juro à inflação.

Empresas precisam de mudanças que deem sinal de esperança, diz bastonária dos contabilistas

Paula Franco tem “expectativa” de que no próximo Orçamento do Estado sejamos “surpreendidos com medidas que aumentem a confiança”.
Comentários