Centro de Competências para os Media lançado na Universidade de Aveiro

O projeto tem como objetivo promover o jornalismo de alta qualidade alavancado por ecossistemas digitais. O protocolo é assinado esta quinta-feira, 16 de dezembro e envolve a UA, a Associação Portuguesa de Imprensa, o PCI – Creative Science Park e conta com apoio da Google.

É assinado esta quinta-feira, dia 16 de dezembro, na Universidade de Aveiro, o protocolo que cria o Centro de Competência para os Media – Aveiro Media Competence Centre (AMCC). O projeto envolve a Associação Portuguesa de Imprensa, a Universidade de Aveiro e o PCI – Creative Science Park e conta com apoio da Google.

O Aveiro Media Competence Center será o ponto central na União Europeia para a conceção e implementação de cursos de formação e projetos de implantação de tecnologia de curto prazo com o objetivo de promover jornalismo de alta qualidade alavancado por ecossistemas digitais.

Trata-se, segundo o presidente da Associação Portuguesa de Imprensa, João Palmeiro, do “primeiro e mais importante e concreto passo para assegurar que os editores de jornais e revistas portugueses e europeus vão ser apoiados na resolução” dos desafios digitais que enfrenta: a acessibilidade dos leitores e utilizadores, o algoritmo (inteligência artificial) e os conteúdos.

O AMCC tem como objectivo “apoiar e promover o setor editorial local da União Europeia, ao longo do processo de transição digital, e assegurar o seu futuro sustentável no contexto digital”, adianta João Palmeiro.

Numa primeira fase, explica, o foco será em editoras locais de países europeus. “Através da produção e divulgação de conhecimento prévio e regular será possível melhorar a capacidade dos media locais e desenvolver as suas competências digitais através do envolvimento de especialistas internos e ou externos em soluções digitais para o setor dos media”.

O resultado esperado desta iniciativa é a criação de uma equipa multidisciplinar de especialistas para analisar, desenvolver e promover soluções de estratégia digital, plataformas, ecossistemas e grupos de desenvolvimento de projetos que estarão diretamente envolvidos com as equipas do editor.

Para João Palmeiro, “a parceria com a Universidade de Aveiro e o Parque de Ciência e Inovação, entidades líderes no pensamento e na inovação tecnológica digital e o apoio do Google” permite não só lançar, desde já, o projeto como “prever que, num futuro próximo, outras entidades, públicas e privadas, portuguesas, europeias ou globais, se juntarão na sustentabilidade deste instrumento de defesa da democracia, da liberdade de imprensa e da luta contra a iliteracia que vamos protocolar”.

Na sessão de lançamento participam o reitor da Universidade de Aveiro, Paulo Jorge Ferreira, o diretor do PCI, Pedro Almeida, o presidente da APImprensa, João Palmeiro, um representante do Google, que financia este projeto, e o secretário de Estado do Cinema, Audiovisual e Media, Nuno Artur Silva.

A assinatura do protocol0 é seguida de uma mesa redonda sobre a “Transição Digital nos Media”, moderada pelo jornalista Pedro Fonseca, na qual participam Susana Sargento, da Universidade de Aveiro, Tiago Sacchetti, da Bosch Industry Consulting, Ralf Schäfer da Fraunhofer Heinrich-Hertz-Institut (Berlim), Guida Marques Pinto, do jornal Público, e Vítor Almeida, do jornal A Verdade. A sessão de trabalhos será encerrada pelo secretário de Estado para a Transição Digital, André de Aragão Azevedo.

Recomendadas

Três praias de Oeiras interditadas a banhos

As praias de Caxias, Santo Amaro de Oeiras e Paço de Arcos foram interditadas a banhos, desde sexta-feira, depois das análises à qualidade da água revelarem valores microbiológicos acima dos parâmetros de referência, revelou hoje a Autoridade Marítima Nacional.

António Almeida-Dias: “Ao contrário do ensino superior estatal, não pedimos dinheiro ao Governo”

Presidente da APESP defende que Portugal tem muito a ganhar com um ensino superior privado que usufrua da autonomia e liberdade consagradas na Constituição e que o Estado limita. O setor privado da economia já demonstrou ser o motor da inovação e do progresso, diz.

IPLeiria constrói cinco residências e renova sete num investimento de 25 milhões do PRR

Com este investimento, o Politécnico vai assegurar residências de estudantes em todas as cidades onde conta com oferta formativa, nomeadamente em Leiria, Caldas da Rainha, Peniche, Marinha Grande, Pombal e Torres Vedras.
Comentários