CEO da Microsoft destaca plataforma para ajudar a Ucrânia criada por português

Satya Nadella diz que o “Ukraine Live Aid”, para prestar apoio aos refugiados ucranianos, foi um dos trabalhos “significativos” e “muito necessários” que feitos com as Power Pages da Microsoft.

O CEO da Microsoft destacou esta terça-feira, na abertura de um evento internacional, o espírito empreendedor e solidário do português Edgar Simões, que criou uma plataforma digital em Power Pages para prestar apoio aos refugiados ucranianos chamada “Ukraine Live Aid”. Satya Nadella considera que este foi um dos trabalhos “significativos” e “muito necessários” que feitos com as Power Pages, que permitem o desenvolvimento e alojamento de páginas low-code (código) e a criação de websites empresariais.

“Em Portugal, Edgar Simões quis encorajar as pessoas a doar bens para ajudar a receção de refugiados. Utilizou o Power Pages para hospedar e construir a sua aplicação, permitindo-lhe lançar um site sem conhecimentos de HTML ou Web. Passou de uma ideia para impacto real em poucos dias”, aplaudiu o CEO da Microsoft, keynote speaker no primeiro dia da conferência de programadores “Microsoft Build 2022”.

A “Ukraine Live Aid” começou a funcionar em março desde ano, depois da invasão da Rússia à Ucrânia, e regista neste momento quase 1.700 visitas online, mais de 100 instituições em 17 distritos portugueses e uma equipa de voluntários técnicos composta por sete pessoas. Através de um mapa interativo, os utilizadores podem ver, em tempo real, os locais e entidades que aceitam doações para apoio a refugiados e submeter novos pedidos para integração (em português, inglês e ucraniano).

“Este projeto nasceu da vontade de apoiar os refugiados ucranianos. A pandemia mostrou-nos que a tecnologia serve melhor o seu propósito quando está ao serviço das pessoas em momentos de emergência social e desta vez decidi agir. Percebi que havia muitos dados dispersos sobre os centros de doação em território nacional”, afirmou Edgar Simões, engenheiro de Power Platform Support na Microsoft Portugal, em comunicado enviado à imprensa.

A plataforma tem mapa interativo em direto, apresentado num dashboard em Power BI e alimentado por uma base de dados única, desenvolvida no Power Pages. O engenheiro explica que desenvolveu o sistema em dois dias. “Mesmo com conhecimento limitado em Microsoft Power Pages e quase nulo em programação, desenvolvi a primeira versão da aplicação num fim de semana. A plataforma assenta num conceito de inovação aberta, na qual os utilizadores podem interagir em comunidade, dá voz e coloca no mapa as várias entidades, permitindo escalabilidade à iniciativa”, conta.

Licenciado em Gestão pelo Instituto Politécnico de Viana do Castelo e mestre em Economia e Gestão da Inovação pela Faculdade de Economia da Universidade do Porto, Edgar Simões é, desde 2020, embaixador do programa Microsoft Learn Student Ambassadors e detém a certificação oficial da Microsoft “Power Platform Functional Consultant Associate”.

A Microsoft suspendeu as vendas na Rússia a 4 de março de 2022.

Recomendadas

Afinal, que soluções existem para as empresas?

O Banco Português de Fomento lançou no início do ano os dois primeiros programas para apoiar a solvabilidade do tecido empresarial português. A banca está focada em aconselhar e montar as operações.

Presidente da Ryanair antecipa subida de preços nas ‘low-cost’

Michael O’Leary diz que o preço médio por bilhete deverá subir entre 10 a 20 euros nas viagens low-cost, que estão a tornar-se, segundo o mesmo, “demasiado baratas”.

Candidaturas selecionadas para o Consolidar conhecidas em julho

Os programas Recapitalização Estratégica e Consolidar têm gerado grande interesse, diz a presidente da comissão executiva do Banco Português de Fomento, Beatriz Freitas, ao Jornal Económico.
Comentários