CEO da PT diz que Altice quer investir em media mas não está a negociar compra da TVI

Paulo Neves diz à RTP3 que faz sentido a PT ser um operador global, mas não confirma negociações neste momento para comprar a TVI.

O novo programa de economia da RTP3 chama-se Tudo é Economia e estreia-se com uma entrevista a Paulo Neves, CEO da PT Portugal. O líder da empresa que tem a MEO e que foi comprada pela francesa Altice.

Paulo Neves disse que a tentativa de comprar a TVI é um rumor.

A PT foi comprada pela Altice em 2015, que tem uma visão de “operador global”, que cobre telecomunicações, media e conteúdos. Como acontece em França onde tem comunicação social, e Israel, onde tem produção de conteúdos.

Em Portugal não é excepção, mas “não existe nada relativamente à TVI neste momento”.

Mas não se compromete com o futuro.

Miguel Almeida, presidente da NOS reagiu dizendo que esperava que “o regulador intervisse”. Em resposta Paulo Neves disse ironicamente estranhar que o concorrente “que durante algum tempo dominou conteúdos de cinema e parte do desporto,  e nunca apelou ao regulador para intervir se houvesse essa aquisição”.

“Estamos a investir em fibra óptica”, disse Paulo Neves na entrevista à RTP3.

“Invertemos o ciclo de queda de receita”, disse o CEO da PT. Isto apesar de terem perdido alguns dos grandes clientes, como a CGD e o Ministério das Finanças.

Paulo Neves explicou que o Plano Lavoisier não é um programa e rescisões, mas sim um programa de realocar pessoas. Mobilidade e não rescisões. “Não rescindimos com ninguém”, disse.

Admitiu que houve uma substituição de outsourcing por colaboradores internos. Recusou que viesse a estar em cima da mesa no próximo ano um programa de rescisões significativo.

Sobre a dívida de 47 mil milhões de euros de da Altice, Paulo Neves disse que a maturidade é longa e as empresas do grupo geram cash flow suficiente para pagar a dívida.

 

Recomendadas

NOS avança com dados móveis ilimitados nos novos cartões móveis com pagamento em fatura

“A NOS oferece dados móveis ilimitados até ao final do ano a todos os clientes com novos cartões móveis com pagamento em fatura”, refere a operadora em comunicado.

Foram portados mais de 16 mil números no segundo trimestre, revela Anacom

No segmento residencial, a percentagem de números móveis associados à totalidade dos acessos móveis ativos que se encontravam portados era de 18%, segundo a mesma fonte. No segmento não residencial, esta percentagem foi de 11,2%, revelou a Anacom.

Vodafone fecha acordo para compra da Nowo

A operadora de telecomunicações anunciou esta sexta-feira um acordo com a Llorca JVCO Limited, acionista da Másmóvil.
Comentários