CEO deixa empresa de 65 mil milhões para ir para a “praia e não fazer nada”

Formica, que está no Reino Unido há quase três décadas, disse em entrevista que a sua saída se deve a “motivos pessoais”, incluindo o desejo de estar mais perto dos pais já idosos. Planeia voltar para a Austrália, o seu país natal.

Andrew Formica, presidente-executivo da Jupiter Fund Management, anunciou que vai renunciar ao cargo da empresa que gere ativos no valor de 55,3 mil milhões de libras (64 mil milhões de euros), justificando a decisão com a vontade de “ir sentar-me na praia e não fazer nada”, avança a “Bloomberg”.

Formica, de 51 anos, deixará o cargo em 1 de outubro e também renunciará ao cargo de diretor da empresa com sede em Londres na mesma data, de acordo com um comunicado enviado aos funcionários, que a “Bloomberg” teve acesso. Matthew Beesley, diretor de investimentos da empresa, será o sucessor.

Formica, que está no Reino Unido há quase três décadas, disse em entrevista que a sua saída se deve a “motivos pessoais”, incluindo o desejo de estar mais perto dos pais já idosos. Ele planeia voltar para a Austrália, o seu país natal.

“Eu só quero ir sentar-me na praia e não fazer nada”, referiu Formica na entrevista. “Não penso em mais nada.”

Formica ingressou na Jupiter vindo da Janus Henderson Group, onde foi responsável pela fusão entre a empresa de fundos americana Janus e a empresa britânica Henderson em 2017.

Os clientes foram retirando o dinheiro da Jupiter durante quatro anos consecutivos e a empresa não conseguiu conter as saídas este ano. Nos primeiros três meses do ano, os investidores arrecadaram mais 1,6 mil milhões de libras (1,8 mil milhões de euros), segundo o seu último relatório de lucros.

Beesley, o novo CEO, já disse que planeia alterar a estratégia da empresa, embora tenha referido que dará mais detalhes sobre as suas intenções quando assumir o cargo de Júpiter em outubro.

Recomendadas

Misericórdia contrata grupo Gabriel Couto para empreitada de 7,5 milhões

Reabilitação e construção de um empreendimento imobiliário no centro de Lisboa vai permitir a oferta de 32 novos apartamentos de tipologias diversas.

Media Capital passa de prejuízo a lucro de 40,7 milhões no primeiro semestre

A Media Capital passou de prejuízos de 8,4 milhões de euros no primeiro semestre de 2021 a lucros de 40,7 milhões de euros nos primeiros seis meses deste ano, anunciou esta quinta-feira a dona da TVI.

Sector das TI pode ganhar 100 mil milhões com as empresas de média dimensão europeias

Hendrik Willenbruch, sócio da Oliver Wyman, diz que as organizações “recorrem cada vez mais a fornecedores externos, especialmente as médias empresas, que consideram mais difícil atrair talento num ambiente de escassez geral de especialistas em recursos” tecnológicos.
Comentários